Mundo

Alba denuncia em Cuba “política agressiva” dos EUA

Alba denuncia em Cuba “política agressiva” dos EUA

Presidente cubano Miguel Diaz-Canel (dir.) e venezuelano Nicolas Maduro na cúpula da Alba em Havana, no dia 14 de dezembro de 2019. - AFP

A Aliança Bolivariana para os Povos da América (Alba) encerrou sua cúpula neste sábado em Havana com um apelo à unidade de seus membros, diante da “política agressiva e intervencionista” dos Estados Unidos.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

“Os desafios que enfrentamos reafirmam a necessidade de fechar fileiras diante de ameaças, interferências e agressões externas”, afirma a declaração final da XVII cúpula da organização lançada há 15 anos pelos desaparecidos Fidel Castro e Hugo Chávez.

O texto, lido pelo ministro das Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodríguez, condena “a política agressiva e intervencionista do governo dos Estados Unidos, que com a cumplicidade das oligarquias nacionais e da mídia corporativa, juntamente com as conseqüências da aplicação estrita de modelos neoliberais desumanos, são as causas principais da perigosa instabilidade regional”.

A declaração condena “o golpe de Estado contra o governo constitucional” de Evo Morales na Bolívia, repudia “as ameaças do uso da força pelo governo dos Estados Unidos contra a Venezuela”, bem como “as repetidas tentativas desestabilizadoras contra o governo “de Daniel Ortega na Nicarágua.

A cúpula acontece em um momento em que o governo Donald Trump aumenta suas sanções econômicas contra Venezuela, Cuba e Nicarágua, países que ele chama de “troika da tirania”.

Ao abrir a cúpula pela manhã, acompanhado pelos presidentes Nicolás Maduro (Venezuela) e Daniel Ortega (Nicarágua), o presidente cubano Miguel Díaz-Canel pediu para que se “enfatize a Alba como plataforma de coordenação política e defesa da independência, o paz e integração regional”.

Atualmente, fazem parte da Alba Antígua e Barbuda, Cuba, Dominica, Granada, Nicarágua, São Cristóvão e Nevis, São Vicente e Granadinas, Suriname e Venezuela.

Veja também

+Após ficar internada, mulher descobre traição da mãe com seu marido: ‘Agora estão casados’

+ Por decisão judicial, Ciro Gomes tem imóvel penhorado em processo com Collor

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Baleia jubarte consegue escapar de rio cheio de crocodilos na Austrália

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea