ISTOÉ Gente

Aila Menezes, ex-The Voice, elimina 30 kg em caso de diarreia crônica e é internada

Crédito: Reprodução/Instagram

A ex-participante do The Voice, Aila Menezes, está internada após ter fortes dores abdominais. A cantora revelou em seu Instagram que estava sofrendo há dois meses e meio com um caso de diarreia crônica, chegando a eliminar 30 kg por causa da condição.

Luana Piovani faz ensaio com body transparente e mostra bastidores no Instagram


BBB22: Vyni diz não estar interessado em romance: ‘Quando eu queria, ninguém queria’

“Estou internada há aproximadamente três dias. Na verdade, eu trago um quadro de algum tempo para cá de diarreia crônica. Busquei um gastroenterologista, que sugeriu que eu tinha uma disbiose, uma síndrome do intestino irritável. Mas em um período de aproximadamente dois meses e meio, três meses, eu perdi quase 30 quilos. Não conseguia manter nada no meu intestino, não conseguia me alimentar, estava sem fome e com muita diarreia. E achava que era por causa dessa síndrome do intestino irritável. Modifiquei minha alimentação – eu já não consumo nada de leite mesmo, já tenho na vida uma alimentação bem balanceada – e  fiquei ainda mais dentro de um padrão de alimentação mais saudável”, começa Aila.

A cantora continua, explicando que na última terça-feira (25) sentiu as dores na barriga e não conseguiu esperar. “Tomei uma medicação em casa, só que a dor persistiu. Vim para o hospital achando que poderia ser até apendicite. Mas quando eu cheguei aqui, recebi a surpresa de uma tomografia, que apontou que todo o meu intestino está inflamado, infeccionado, correndo risco de ruptura. Segundo a equipe médica, existem algumas possibilidades diagnósticas, como a Doença de Crohn, que é autoimune. E eu já tenho uma doença autoimune chamada urticária crônica idiopática.”

“Tive que iniciar imediatamente o tratamento com antibióticos muito fortes e não me deixaram mais ir para casa. Estou aqui no hospital para ver se combatemos essa bactéria, que pode, inclusive, ir para o corpo, corre o risco de ir para o sangue. Meus exames de sangue já deram alterados, com infecção alta. Estou me cuidando de forma bem desesperadora, eu diria. Não esperava isso mesmo. Foi tudo de uma hora para outra”, acrescenta.

Aila desabafa, mostrando estar muito preocupada com o quadro de saúde. “Eu preciso do real diagnóstico, saber se é a Doença de Crohn, que não é muito falada, mas é uma doença superimportante de ser abordada porque traz muitos problemas intestinais. E não tem a ver com obesidade, nada disso, é uma doença que vem, geralmente, de gatilhos emocionais, como outras doenças autominunes. Estou aqui lutando, não tenho ideia de quando terei alta. Estou isolada por ser uma bactéria grave, que pode correr o risco de romper o meu intestino. Estou na luta para sobreviver, tomando as medicações e tentando mentalizar coisas positivas. Cancelei meu evento, que seria hoje, adiei a data, na verdade, que é o meu ‘Baile de Todas as Cores’.”

“Peço que as pessoas rezem por mim e Deus me dê a cura, porque estou vivendo momentos bem difíceis, principalmente por ter síndrome do pânico. Tenho tido crises de pânico horríveis. Mas eu acredito que vou superar e em breve vou estar de volta aos palcos. Mas peço que rezem por mim, pela minha cura, para que eu me restabeleça logo. Estou muito assustada. Ontem eu tive uma crise de pânico horrível e as enfermeiras e a equipe médica me trataram tão bem! A equipe daqui está me acolhendo com muita humanidade, estou encantada! Isso está me fazendo melhorar muito mais! Muitas pessoas mandaram direct para mim, dizendo: ‘nossa, como você está mais magra! Como você emagreceu! Passa a receita!’ As pessoas acham que emagrecer é sempre coisa boa. E, nesse caso, emagrecer para mim foi a falta de saúde. Eu não emagreci porque eu estava doente e precisei emagrecer. Foi o contrário! Eu tinha dias de diarreia em que ia 17 vezes ao banheiro. Não foi um emagrecimento que eu planejei perder essa quantidade de peso. Foi por causa de uma doença. As pessoas nem sabem e elogiam: ‘nossa, está mais magra!’ Como se ser magra significasse saúde. E não significa”, finaliza.