Mundo

Agenda de Biden é prioridade em outono frenético do Congresso dos EUA

Agenda de Biden é prioridade em outono frenético do Congresso dos EUA

O Congresso dos Estados Unidos, fotografado com o nascer do sol sobre a cidade de Washington, em março de 2021. Espere ver um dos meses mais movimentados dos últimos anos - AFP/Arquivos


Os congressistas dos EUA mergulharão na próxima semana no período legislativo mais movimentado dos últimos anos. O presidente Joe Biden está contando com os democratas para aprovar projetos de lei decisivos que revigorarão sua popularidade.

Biden está confiante de que entrará nas eleições de meio de mandato do próximo ano com reformas econômicas históricas sob seu comando, enquanto enfrenta fortes críticas sobre a caótica retirada dos Estados Unidos do Afeganistão e um número ainda alto de mortes causadas pela pandemia.

Evitar a paralisação do governo também está no topo da agenda, assim como evitar dívidas de crédito catastróficas, o que pode ser, talvez, o seu maior desafio à frente.

– “Reconstruir melhor” –

Os democratas esperam conseguir um pacote de política social de 3,5 trilhões de dólares por meio de um processo conhecido como reconciliação, o que significa que eles podem aprovar o projeto com sua maioria (50 dos 100 senadores mais a vice-presidente Kamala Harris).

Sem a reconciliação, seriam necessários 60 votos em uma votação processual apenas para fazer avançar a legislação e contaria com o apoio de 10 republicanos.

O chamado pacote “Rebuild Better” (Reconstruir melhor) visa combater as mudanças climáticas, reduzir os custos de cuidados infantis e educação para as famílias trabalhadoras e criar milhões de empregos.

Biden disse em um discurso na quinta-feira que estava confiante de que o Congresso aprovaria o plano, descrevendo-o como um momento que poderia “mudar a trajetória” do país nas próximas décadas.

– Infraestrutura e o Teto da Dívida –

Um projeto de infraestrutura de 1,2 trilhão de dólares foi aprovado no Senado em agosto, com o apoio de um terço dos 50 republicanos e todos os 50 democratas.

A presidente democrata da Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, prometeu uma votação antes de 27 de setembro naquele órgão, onde seu partido tem uma maioria muito pequena.

Mas aqui, novamente, a verdadeira luta é interna, já que a ala progressista democrata diz que não votará até que um pacote maior de reconciliação seja criado. Os especialistas estimam que o processo pode levar semanas ou meses.



A conta de infraestrutura inclui 500 bilhões de dólares em novos gastos federais com rodovias, pontes, transporte, internet de alta velocidade e medidas contra a mudança climática, incluindo uma rede de estações de recarga para carros elétricos.

Por outro lado, o teto da dívida dos Estados Unidos deve suspender ou aumentar nas próximas semanas para evitar uma violação, que desencadearia um colápso econômico e uma derrocada financeira mundial.

A secretária do Tesouro, Janet Yellen, alertou sobre um “dano irreparável à economia americana” no próximo mês.

Os republicanos afirmam que as políticas de Biden têm criado a necessidade de aumentar o limite da dívida. Porém, dados divulgados do Departamento do Tesouro provaram que a administração Trump acumulou 7,8 bilhões de dólares em novas dívidas – mais de um quarto do total -, em apenas quatro anos.

Saiba mais
+ Mãe de Medina compara Yasmin Brunet a ‘atriz pornô’ e colunista divulga conversa
+ Chamada de atriz pornô, Yasmin Brunet irá processar mãe de Gabriel Medina
+ Mulher divide marido com mãe e irmã mais nova: ‘Quando não estou no clima’
+ Em pose sexy, Cleo Pires afirma: "Amando essa minha bunda grande"
+ Médicos encontram pedaço de cimento em coração de paciente durante cirurgia
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio