Aeronautas marcam greve escalonada e aéreas voam para evitar apagão

Sindicato de pilotos e comissários não foi atendido em rodadas de negociações sobre reajustes

Crédito: Pixabay

(Crédito: Pixabay)


Uma greve nacional escalonada a partir do dia 29, próxima segunda-feira, acendeu o alerta nas grandes companhias aéreas do Brasil. O Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) avisou que a categoria – que abrange mais de 15 mil filiados entre pilotos (comerciais e privados) e comissários de bordo – decidiu parar por demandas não atendidas após rodadas fracassadas com representantes das maiores empresas, que empregam cerca de 14 mil profissionais.

“A greve é para valer, não é uma ou duas horas, a partir do dia 29, com metade dos filiados parando, e a outra metade no dia seguinte, e ficam intercalando”, confirma à Coluna o secretário-geral do SNA, comandante Tiago Rosa. “A proposta das empresas não chegou nem à metade do que o sindicato pediu nas negociações. Está definido”

A despeito do alerta dentro das aéreas, e da confirmação da paralisação por parte do presidente do Sindicato, não se sabe ainda o tamanho da adesão e o impacto que isso possa ter no setor, às vésperas dos festejos de fim de ano. Todavia, o SNA se declara aberto a receber alguma proposta nova, que possa, eventualmente, ser deliberada pela categoria a tempo de suspender a greve. O deputado federal Jerônimo Goergen, apoiador das pautas dos aeronautas, entrou no circuito como um intermediador da situação.

As empresas correm, internamente, para sondar os funcionários e conferir a real adesão, a fim de convocar pilotos de folga ou inativos para cobrir eventuais faltas e evitar um “apagão aéreo” em dezembro.
Segundo o comandante, a pauta do sindicato é a de reajuste salarial baseado no acumulado do INPC dos últimos 24 meses, diante de reajuste zero neste período, foi enviada em setembro às companhias, mas só em outubro foi feita a primeira rodada de conversas. Sem sucesso. As empresas ofereceram um reajuste parcelado e com índice pela metade do demandado, o que não foi aceito após assembleia online da categoria.

Em nota oficial divulgada em seu site no último dia 24, o Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (SNEA) criticou a atuação do SNA que, segundo os dirigentes das aéreas, não flexibilizou nas negociações e indicou estado de greve desde o início das demandas.

Parte da nota do SNEA cita que “Ao abandonar as negociações na semana passada, após seis reuniões entre as partes e sem nenhuma flexibilização, o SNA impele a categoria para uma greve como única medida. Cumpre esclarecer também que o Sindicato Nacional dos Aeronautas não observa o rito legal previsto na Lei de Greve”.

Leia a íntegra aqui.


Saiba mais
+ Andressa Urach pede dinheiro na internet: ‘Me ajudem a pagar a fatura do meu cartão’
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ SP: Homem morre em pé, encostado em carro, e cena assusta moradores no litoral
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua


Sobre o autor

Leandro Mazzini começou a carreira jornalística em 1996. É graduado em Comunicação Social pela FACHA, do Rio de Janeiro, e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. A partir de 2000, passou por ‘Jornal do Brasil’, ‘Agência Rio de Notícias’, ‘Correio do Brasil’, ‘Gazeta Mercantil’ e outros veículos. Assinou o Informe JB de 2007 a 2011, e também foi colunista da Gazeta. Entre 2009 e 2014 apresentou os programas ‘Frente a Frente’ e ‘Tribuna Independente’ (ao vivo) na REDEVIDA de Televisão, em rede, foi comentarista político do telejornal da Vida, na mesma emissora e foi comentarista da Rede Mais/Record TV em MG. Em 2011, lançou a ‘Coluna Esplanada’, reproduzida hoje em mais de 50 jornais de 25 capitais e interior Foi colunista dos portais ‘UOL’ e ‘iG’ desde então, e agora escreve no blog que leva seu sobrenome no portal da ‘Revista Isto É’, onde conta com o trabalho dos jornalistas Walmor Parente, Carolina Freitas, Elizabeth Paiva e Sara Moreira, além de correspondentes no Rio e Recife. É também comentarista das rádios ‘JK FM’ em Brasília, ‘Super TUPI’, do Rio, e ‘Rádio Muriaé’.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2022 - Três Editorial Ltda.
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.