Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

O advogado Eduardo Carlezzo, representante da Federação Chilena de Futebol, apresentou novas provas sobre a denúncia contra a federação equatoriana por suposta falsidade de nacionalidade do jogador Byron Castillo, a três dias da Fifa proferir uma decisão sobre o polêmico caso.

Em entrevista coletiva em Santiago, Carlezzo mostrou uma certidão de batismo de Castillo, cerimônia que teria sido realizada na cidade colombiana de Tumaco, no departamento de Nariño, no sul do país, na fronteira com o Equador.

Segundo o advogado, essa e outras evidências confirmariam que o jogador de 23 anos é colombiano e não equatoriano, e que sua participação na seleção equatoriana durante as eliminatórias sul-americanas seria irregular.

“Esse documento é importantíssimo para mim (…) Essa certidão de nascimento de Byron na Colômbia data de 25 de novembro de 1996, está reconhecida e validada pela igreja em 1º de junho de 2022”, disse Carlezzo a repórteres.

O advogado já argumentou que a certidão de nascimento equatoriana de Castillo é falsa. Ele explicou que o jogador “nasceu em 25 de julho de 1998 na Colômbia”, mas está usando uma certidão de nascimento “de 10 de novembro no Equador”.

“Seria escandaloso se a Fifa desconhecesse essas informações. Há muitas coisas”, disse Carlezzo. A polêmica foi revelada no início de maio, quando a Federação Chilena de Futebol formalizou uma denúncia junto à Fifa contra a do Equador pelo “uso de uma falsa certidão de nascimento, falsa declaração de idade e falsa nacionalidade” do jogador Byron Castillo, que teria nascido na Colômbia.

O Chile exige os pontos nas duas partidas que disputou contra o Equador pelas eliminatórias, alegando que Castillo jogou esses jogos na seleção tricolor sem ser equatoriano.

“Estamos buscando os pontos para ir à Copa do Mundo”, disse Carlezzo.

A Fifa deve emitir a decisão de primeira instância na sexta-feira, depois de receber a documentação do Chile e do Equador.

O técnico equatoriano, o argentino Gustavo Alfaro, afirmou que agiram “certo” e que conquistaram a classificação “em campo”.

msa/cl/aam