Geral

Advogadas ironizam demora de Rosa Weber para julgar caso no STF: “Parabéns, ministra”

Crédito: EVARISTO SA / AFP

Rosa Weber durante entrevista coletiva em Brasília (Crédito: EVARISTO SA / AFP)


Duas advogadas de Pelotas (RS) fizeram uma reclamação e enviaram à Rosa Weber, ministra do Supremo Tribunal Federal (STF). Na carta, elas criticaram a demora no julgamento de um caso de um homem de 80 anos. As mulheres afirmam que o cliente aguardava uma decisão do Supremo há 11 anos, mas morreu sem ver o pleito atendido. As informações são da GaúchaZH.

As advogadas Lilian Velleda Soares e Maria Emília Valli defendiam Celmar Lopes, serviador aposentado da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) que pleiteava, assim com outros ex-servidores, o reajuste de 28,8% nas aposentadorias. Em maio de 2008, o INSS ingressou no STF com um recurso extraordinário em regime de repercussão geral, congelando também o pagamento da parcela até que o STF decida sobre o caso.

Na carta, as advogadas ironizaram a demora do STF no caso. “Parabéns, ministra, pela demora”, escreveram. “Informamos também que as pompas fúnebres foram singelas, sem as lagostas e os vinhos finos que nossos impostos suportam”, completaram citando a compra destes produtos em uma licitação do STF no início deste ano.

Procurada, a ministra Rosa Weber não retornou as ligações para comentar a manifestação de Lilian e Maria Emília.