Esportes

Aberto da Austrália autoriza camisetas de apoio à tenista chinesa Peng Shuai

O público do Aberto da Austrália poderá usar camisetas com a frase “Onde está Peng Shuai?”, em apoio à tenista chinesa que se manifestou contra os abusos de uma autoridade de seu país, informou o diretor do torneio, Craig Tiley, nesta terça-feira (24).

A autorização veio depois que um vídeo foi divulgado no domingo em que seguranças do primeiro torneio de Grand Slam do ano ordenaram aos espectadores que retirassem suas camisas e uma faixa de apoio à tenista chinesa em Melbourne Park, o que provocou duras críticas.


Em meio à pressão, Tiley disse que as camisas seriam permitidas desde que as pessoas que as usassem se comportassem pacificamente.

“Sim, desde que não venham como uma multidão perturbadora, mas sejam pacíficos”, declarou o diretor do torneio à AFP durante o torneio australiano.

“Foi tudo um mal-entendido de algumas pessoas que não estão aqui e não têm uma visão completa” do ocorrido, continuou.

O vídeo levou a lenda do tênis Martina Navratilova a chamar a proibição de camisetas de “patética”.

Peng, ex-número um do mundo nas duplas, mas que está ausente em Melbourne, provocou temores depois que ela alegou em novembro que foi “forçada” a um relacionamento sexual de longo prazo com um ex-vice-premier chinês.

Sua denúncia foi censurada e a tenista de 36 anos passou três semanas desaparecida, antes de reaparecer em público na China. Mas permanecem questões sobre seu bem-estar e se a atleta é livre para falar.

A Tennis Australia, que organiza o Aberto da Austrália, reafirmou nesta segunda-feira sua posição de “não permitir faixas, cartazes ou roupas comerciais ou políticas”, levando à proibição de camisetas em Peng.

Em resposta, uma página do GoFundMe arrecadou mais de US$ 7.000 em dois dias para imprimir camisetas sobre Peng e distribuí-las para quem quisesse usá-las.

Especialistas em direitos humanos citados pela mídia australiana disseram que a proibição de camisetas pode ser ilegal.

Vários jogadores do Aberto da Austrália expressaram o desejo de ouvir Peng para confirmar sua situação.

A este respeito, Tiley afirmou que “a nossa maior preocupação é com o bem-estar de Peng Shuai e temos trabalhado em estreita colaboração com a WTA”, a Associação de Tênis Feminino, que reivindicou informações sobre a tenista chinesa.

mp/arb/mas/ma/am