Esportes

Abel se espelha em seleção pentacampeã para escalar Palmeiras com 3 defensores

Com três zagueiros ou com um lateral formando um trio ao lado de dois zagueiros, Abel Ferreira pretende manter o esquema tático com três defensores no Palmeiras na nova temporada. E não somente porque deu certo na final da Copa Libertadores de 2021. O treinador se espelha na seleção brasileira campeã mundial na Copa de 2002 para apostar nesta formação.

“Às vezes as pessoas me perguntam porque há reticência a três centrais, mas na última vez que o Brasil venceu a Copa do Mundo tinha Lúcio, Roque Júnior e Edmílson. Mais Cafu, Roberto Carlos, primeiros volantes na frente e o trio RRR (Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho e Rivaldo). Era um sistema super versátil no aspecto defensivo e ofensivo. Com os mesmos jogadores pode ser muito agressivo ofensivamente e também defensivo”, explica Abe.


Na estreia do Palmeiras na temporada, no domingo, a vitória por 2 a 0 sobre o Novorizontino foi conquistada com apenas dois zagueiros de ofício no time: Luan e Gustavo Gómez. No entanto, o lateral-esquerdo Piquerez com frequência se alinhava à dupla para compor uma linha de três defensores.

Abel Ferreira indica que essa formação é uma opção para a sequência do campeonato, incluindo o Mundial de Clubes. Ou uma alternativa, sem descartar a possibilidade de escalar três zagueiros de ofício.

“Um camaleão, quando muda de cor, continua sendo um camaleão. Ele só muda de cor. Podemos usar diferentes formações, mas o importante é que os jogadores sabem o comportamento que precisam ter com ou sem a bola. Gosto muito do 3-4-3, mas gosto desde que os jogadores interpretem. Jogamos em um 3-4-3 claro e os jogadores entendem bem esse jogo”, explica.

A formação defensiva usada no domingo foi a mesma que deu certo na final da Copa Libertadores, contra o Flamengo. Na ocasião, Piquerez foi fixado na zaga, enquanto Gustavo Scarpa atuava na ala esquerda, às vezes como lateral mesmo.

Se surpreendeu o Flamengo naquela final, Abel sabe que agora a formação não será mais novidade diante dos futuros adversários. “Por culpa nossa porque elevamos o nosso sarrafo sendo campeão da Libertadores, nós disputaremos o Mundial e faremos com que os jogos do Paulista acumulem outra vez. Olharemos como um desafio, todas as dificuldades são oportunidades para crescermos.”

Mesmo convicto de quem são seus titulares, o treinador terá chance para fazer novos testes nos próximos jogos, já pensando no Mundial de Clubes, em fevereiro. Isso porque o paraguaio Gómez será desfalque para as partidas seguintes porque vão se apresentar às suas seleções nas Eliminatórias da Copa do Mundo deste ano. E o seu substituto imediato, o chileno Kuscevic, também foi convocado.

O time paulista terá mais três jogos antes da estreia no Mundial, nos Emirados Árabes Unidos. Na quarta, o adversário será a Ponte Preta, no primeiro jogo do Palmeiras em casa nesta temporada. Depois, enfrentará São Bernardo (fora), dia 29, e Água Santa (em casa), em 1º de fevereiro, todos pelo Paulistão. A estreia no Mundial está marcada para dia 8, contra rival ainda não definido.