Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

O Palmeiras teve dificuldades e empatou com o Avaí neste domingo (26) por 2 a 2, na Ressacada. Para o técnico Abel Ferreira, não foi surpresa encontrar um adversário duro, pois de acordo com ele, os rivais do Verdão ‘vão dar o que tem e o que não tem’.

GALERIA
​> ATUAÇÕES: Reservas não aproveitam oportunidade, e titulares se salvam em empate do Palmeiras com o Avaí

– Nós cada vez mais temos que ter a consciência que os adversários, contra nós, dão a vida. Basta ver o Arthur Chaves (zagueiro do Avaí), cada corte que ele fazia e como ele festejava. É isso que noto. A atmosfera dos campos que nós vamos, a vontade e o desejo que têm de nos ganhar.

– Eu disse aos meus jogadores: vejam como eles festejam um corte. Isso mostra muito a motivação do que essa camiseta (do Palmeiras) dá para quem joga contra nós – analisou o treinador, em coletiva.

VÍDEO: Veja os melhores momentos do empate entre Avaí e Palmeiras no Brasileirão

Segundo Abel Ferreira, Arthur Chaves — citado nominalmente como exemplo de motivação —, apesar da entrega, deveria ter sido expulso. O técnico do Alviverde afirmou que o zagueiro do Avaí merecia ter tomado o segundo cartão amarelo e criticou a arbitragem.

– Aos 36 minutos, devia estar fora do jogo. Ser expulso. O árbitro não viu, aos 36 minutos, a cotovelada que o Arthur Chaves deu no Rony. Nem foi falta, nem foi amarelo e o árbitro deixou seguir – criticou o português.

No lance que Abel Ferreira se referiu, o atacante Rony disparava em direção à área do Avaí e, em disputa com Chaves, acabou perdendo a bola e reclamou de falta. O juiz Wagner do Nascimento Magalhães deixou o jogo seguir e o VAR não interferiu.

Avaí x Palmeiras - árbitro Wagner do Nascimento Magalhães

Árbitro Wagner do Nascimento Magalhães no confronto entre Avaí e Palmeiras (Foto: Cesar Greco)

Apesar do empate na 14ª rodada do Brasileirão, o Palmeiras segue líder do campeonato, com 29 pontos conquistados. A equipe retorna aos gramados na próxima quarta-feira (29), contra o Cerro Porteño, no Paraguai, pelas oitavas da Libertadores.