Economia

AB InBev visa crescimento de lucro central de 4% a 8% no médio prazo


Por Philip Blenkinsop

Bruxelas (Reuters) – A nova liderança da Anheuser-Busch InBev definiu nesta segunda-feira uma meta de crescimento de lucro de 4% a 8% no médio prazo.

A cervejaria do mundo, dona das marcas Budweiser, Stella Artois e Corona, liderada desde 1º de julho por Michel Doukeris, fará conferência para investidores nesta segunda-feira.

Em uma década, o Ebitba da AB InBev aumentou em média 7,3%, caindo 2,4% em 2020, durante a pandemia.

A empresa com sede na Bélgica prevê expansão de 10-12% neste ano. Sua meta de crescimento “orgânico” do Ebitda exclui o impacto das mudanças cambiais na conversão de operações estrangeiras e nas aquisições e desinvestimentos.

Doukeris, ex-chefe de vendas da AB InBev e dos negócios na América do Norte, substituiu o brasileiro Carlos Brito, que tornou a cervejaria na maior do mundo nos 15 anos no comando.

Brito conduziu o crescimento por meio de aquisições e economia de custos. Seu sucessor provavelmente se concentrará mais em impulsionar as vendas de mais de 500 marcas em um mercado já concentrado.


Saiba mais
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ SP: Homem morre em pé, encostado em carro, e cena assusta moradores no litoral
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua