A Serra do Mar além das praias

A Serra do Mar além das praias

Uma pesquisa recente feita por uma plataforma de reservas de hotéis mostrou que 70% dos brasileiros ligam suas férias à praia e ao litoral. Horas de trânsito, carros abastecidos com malas, bóias, pranchas, enjôos e ouvidos tapados. É possível que o resultado dessa pesquisa não seja novidade para nenhum de nós.

Mas, além da descida habitual da estrada, a pesquisa revelou também algo interessante: O segundo cenário mais lembrado por 55% das pessoas foi o das paisagens montanhosas da Serra do Mar, sendo o primeiro o do pôr do sol. 


Sempre senti uma sensação de deixar algo maior para trás ao olhar aquela porção gigantesca de mata atlântica fechada, com dezenas de cachoeiras avistadas de longe, pela janela do carro, além do cheiro da terra, do barulho das aves e das placas indicando cuidado com a travessia de animais na pista. 

O Parque Estadual Serra do Mar (PESM) é a maior Unidade de Conservação de toda a Mata Atlântica. Seus 332 mil hectares protegem 1.361 espécies de animais e cerca de 1200 tipos de plantas registradas por sua extensão, segundo o Ibama, e 25 municípios paulistas, conectando as florestas da Serra do Mar desde o Rio de Janeiro e Vale do Ribeira até o litoral sul do estado.

Só na porção do núcleo Santa Virgínia, são mais de 17 mil hectares de mata preservada. Esta área compreende as cidades de São Luiz do Paraitinga, Natividade da Serra, Cunha, Ubatuba e Caraguatatuba e há muitas, muitas paisagens para explorar.

A trilha das 7 cachoeiras

Fotos Divulgação

A chance de ver de perto o que se enxerga da janela do carro na descida da serra. Uma trilha de nível fácil que começa entre Catuçaba e São Luiz do Paraitinga e passa por quedas d’água de 10 até 40 metros e vai até o Mirante de Laje de Pedra, de onde em dias claros avista-se até Marins/Itaguaré e Itatiaia, no Rio. 

O rafting de São Luiz do Paraitinga

Existem várias opções de descida de bote pelo rio Paraibuna, para que seja acessível a todos os níveis de dificuldade, com duração média de 5 horas. Mas o mais legal, além de passar pelas corredeiras e o senta e rema do bote que suporta até oito pessoas, são os quase 9 quilômetros passando por várias cachoeiras e remansos em meio à floresta. 

A trilha do Pico do Corcovado

Essa tem nível mais difícil, mas é feita por dentro da mata de altitude até seu cume, a 1.168 metros de altitude, onde é possível avistar boa parte das cidades do Vale do Paraíba e do litoral norte de São Paulo, como Ubatuba, Ilhabela, Caraguatatuba e São Sebastião, além de outros picos remotos da Serra da Mantiqueira, como o Pico das Agulhas.

A extensão total é de 17 km (ida e volta) e tem duração média de 9 horas.

 

Infos de ingressos e reservas:

https://www.infraestruturameioambiente.sp.gov.br/pesm/nucleos/santa-virginia

www.ciaderafting.com.br






Sobre o autor

Flavia Vitorino é jornalista e turismóloga especialista em destinos e viagens de natureza. Diretora de conteúdo do aplicativo LYFX e agente de viagens pela GO Escape.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2022 - Três Editorial Ltda.
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.