A noiva de Bolsonaro (spoiler: contém cenas de ironia explícita)

Crédito: Reprodução

(Crédito: Reprodução)

Na década de 1990, um bizarro boneco assassino se tornou mundialmente famoso por misturar horror com humor nas telas de cinema. Não foi o primeiro filme “trash” a ter sucesso, mas inovou ao fazer a plateia rolar de rir diante de assassinatos incrivelmente exagerados.

Após alguns anos de estrelato solitário, Chucky (o boneco) ganhou uma namorada ou, melhor, uma noiva. Tiffany conseguia ser ainda mais perversa e cruel. Se Chucky decapitasse uma vítima com uma serra elétrica, Tiffany o faria com uma tesoura cega, para demorar mais e espirrar baldes de tinta vermelha para todos os lados.

Hoje temos uma espécie de Chucky na presidência da República. Nada parecido com o brinquedo assassino, claro, mas muito parecido com um “boneco de ventríloquo” do Olavo de Carvalho, que ora incentiva manifestações golpistas, ora incentiva invasões a hospitais, ora incentiva o povo a sair às ruas e se expor à gripezinha que já matou, em pouco mais de três meses, quase 50 mil brasileiros, ou ora assume ares de médico da família e receita cloroquina aos doentes de Covid-19.

Como nas telonas, Bolsonaro ganhou uma companheira cruel. Em vez de apenas falar, a “noiva” parte para a ação real e toca o terror. Trata-se da tal Sara Winter, nome de guerra da arruaceira profissional. Nossa Tiffany bananeira já foi de tudo um pouco: de atriz pornô a militante feminista, passando por antibolsonarista fanática, até se descobrir líder de vinte e poucos gatos pingados que se intitulam “300 do Brasil”. Hoje Winter é uma bolsonarista de carteirinha, à espera do noivo amado no altar da infâmia.

Seu último ato foi o ataque com fogos de artifício, sábado passado, ao prédio do STF. Enquanto nesta segunda-feira (15), imprensa, Poder Legislativo, Poder Executivo e entidades organizadas repudiavam o atentado à democracia e ao Estado de Direito, o Chucky do Planalto fazia cara de paisagem e mantinha-se calado; talvez triste pela prisão temporária da Tiffany golpista.


+ Advogada é morta e tem corpo carbonizado no Rio de Janeiro
+ Morre Liliane Amorim, influencer de Juazeiro do Norte, após complicações da realização de lipoaspiração

O filme estrelado pela dupla fez tanto sucesso que se tornou uma franquia milionária do cinema mundial. Para o bem do Brasil, espero que a versão tupiniquim não tenha um novo episódio. Quiçá, seja (legal e democraticamente) interrompida antes do fim, para que nossos Chucky e Tiffany encontrem merecido repouso, ao lado dos bonecos originais, nas páginas bizarras da história.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ 7 tendências de design de interiores que vão bombar em 2021
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.