Geral

A missão comercial de João Doria

Crédito: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

O governador de SP, João Doria, chegou no domingo (9) a Dubai, acompanhado de seis secretários e de 47 empresários para ampliar os negócios e atrair os trilionáros fundos de investimento locais e fazê-los aplicar mais em infraestrutura, dentro do programa de desestatização.

Ele inaugura nesta segunda-feira o escritório de negócio, no Centro de Dubai. “Os Emirados são um hub mundial de negócios e comércio, onde estaremos mais ativos”, disse. “Tanto o setor pública como privado irão se beneficiar.”

Na manhã de domingo, Doria manteve reuniões com dois fundos de investimentos em Abu Dhabi, iniciando uma jornada que se encerra quinta feira.

Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

O fundo mais importante é o Mubadala, que investe mais de US$ 229 bilhões no Brasil, onde está presente há oito anos, em empreendimentos de infra-estrutura, como a invepar, que administra a concessão do aeroporto de Guarulhos e a Rota das Bandeiras, com 297 quilômetros de rodovias em São Paulo.

“Bons negócios começam quando as pessoas de negócios se encontram frente a frente, olhando nos olhos”, afirmou o CEO do fundo, Waleed Al Mokarrab Al Muhair. “Queremos contribuir mais com o país, pois acreditamos no desenvolvimento do Brasil”.

Ele também se encontrou com com Khalil Mohammed Sharif Foulathi, vice-presidente do fundo ADIA, que investe na Sabesp. A promessa é o fundo ampliar suas operações na infraestrutura paulista. Ao lado do Mubadala e do ADIA, outros três fundos de investimentos dos Emirados possuem cerca de US$ 3 trilhões de capital, e o Brasil é um mercado no qual investem cada vez mais.

Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

Nas negociações, os Emirados Árabes Unidos pedem como contrapartida que Doria ajude a excluir o país da lista de paraísos fiscais da Receita Federal. “Vamos nos esforçar para isso”, disse o secretário de Finanças e Planejamento, Henrique Meirelles. Segundo ele, a retirada do nome do país da lista pode intensificar o fluxo de capitais árabes para o Brasil.

De acordo com Doria, serão beneficiadas áreas como medicina, agronegócios, tecnologia e até entretenimento. Sem a presença da imprensa, o governador visitou na tarde de domingo a planta da brf, até hoje a presença brasileira mais forte no país.