Brasil

‘A letalidade não foi provocada pela PM’, diz Doria sobre ação que causou nove mortes em SP

Crédito: Reprodução/ TV Globo

9 pessoas morreram durante confusão em baile funk de Paraisópolis (Crédito: Reprodução/ TV Globo)

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), convocou uma entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira (2) para falar sobre a morte de nove jovens na favela de Paraisópolis durante uma ação policial.

“A letalidade não foi provocada pela Polícia Militar, e sim por bandidos que invadiram a área onde estava acontecendo o baile funk. É preciso cuidado para não inverter o processo. Não houve ação da polícia em relação a invadir a área onde o baile funk estava ocorrendo. Tanto é que o baile funk continuou”, afirmou o governador.

“[O baile] não deveria sequer ter ocorrido porque é ilegal. Fere a legislação municipal”, completou.

Doria ainda declarou que os procedimentos estabelecidos pela Polícia Militar não serão alterados, mas disse que reavaliações vão acontecer em pontos específicos de ação.

“As ações na comunidade de Paraisópolis, como em outras comunidades do Estado de São Paulo, seja pela desobediência à Lei do Silêncio, seja pela busca e apreensão de drogas, de fruto de roubo de automóveis e motocicletas, ou de outros bens, vão continuar na capital, na região metropolitana e no Estado de São Paulo. A existência de um fato não estabelece que circunstancialmente, com as alterações que devem ser feitas, não inibirão as ações de que devem ser feitas”, disse.