Brasil

“A Lava Jato é uma pauta de toda a sociedade”, diz Rosângela Moro em live da IstoÉ

Crédito: IstoÉ

A advogada Rosângela Wolff Moro, mulher do ex-ministro da Justiça Sérgio Moro, foi a convidada da live de IstoÉ, na tarde da sexta-feira, 17. Na entrevista ao diretor de redação da revista, Germano Oliveira, ela contou como tem sido o dia a dia da família durante a quarentena. “Nossa rotina é ler, estudar, acompanhar as notícias e ver filmes. Melhor: ter o Sérgio em quarentena em casa”, diverte-se.

Na conversa, Rosângela fala sobre sua dedicação a causas ligadas ao terceiro setor e sobre o seu livro “Doenças Raras e Políticas Públicas: Entender, Acolher e Atender”. A obra aborda questões relacionadas aos pacientes raros e suas conquistas nos três poderes brasileiros: legislativo, executivo e judiciário.

O livro discute como a lei permitiu mais atenção aos pacientes raros, além de seus familiares e cuidadores, que trouxeram histórias reais e pontos que devem ser melhorados para a assistência desses pacientes.

Na live, a esposa de Moro, que é especialista em direito tributário, apresentou as atividades do Instituto Rosângela Moro, que ela criou recentemente para auxiliar projetos sociais. Como defensora da Federação das Apaes desde 2013, Rosângela acumulou conhecimento e passou a atender outras entidades relacionadas a questões de saúde, uma delas é a uma associação de portadores de Niemann Pick C.


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

“As pessoas que têm essa doença precisam tomar caixas de remédios caríssimos e o SUS não banca o tratamento. O SUS não é tudo para todos”, critica.

Filha de uma alfabetizadora de escola pública e um mestre de obras, ela também critica o possível fim da Operação Lava Jato: “A Lava Jato não é o Sérgio, é uma pauta da sociedade brasileira”. Ela avalia que a corrupção drena o dinheiro que poderia estar sendo usado na saúde e na educação.

Ela evitou responder a qualquer pergunta sobre o governo Bolsonaro e fala laconicamente sobre a saída do marido do Ministério da Justiça: “Era a única coisa que ele tinha para fazer”.

Quando questionada sobre o governo ter à frente da pasta da Saúde um militar sem qualquer formação na área médica, ela deixa escapar que “os brasileiros se sentiriam mais tranquilos se tivesse à frente do Ministério da Saúde alguém ligado à área”.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Rafa Kalimann mostra sua nova mansão no Rio de Janeiro: ‘é muito a minha cara!’
+ 6 fotos em que o design de interiores do banheiro foi um fracasso total. Confira!
+ Ex-jogadora de futebol, Madelene Wright, começa a vender fotos sensuais após ser demitida do time
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel