Retrospectiva 2018

A França é bi

A Seleção Brasileira foi à Copa da Rússia com um voto de confiança do torcedor brasileiro. A escolha de Tite como técnico foi uma decisão acertada, e ele conseguiu colocar o time nos eixos, fazendo uma campanha excelente nas eliminatórias. Neymar, como veterano, receberia a ajuda de outras grandes promessas, como Gabriel Jesus. Mas o que tinha tudo para ser um caminho tranquilo até o hexacampeonato se tornou um pesadelo. O Brasil conseguiu se classificar em um grupo fácil e passou para as quartas de final ao bater o México por 2 a 0, mas não foi páreo para a Bélgica, seleção que surpreendeu pela garra e talento de seus jogadores. Neymar foi uma decepção, chamando mais a atenção por suas quedas exageradas no campo do que pela habilidade com a bola. Gabriel Jesus foi e voltou sem marcar nenhum gol. Enquanto isso, a França, formada por um elenco jovem liderado pelo Mbappé, foi derrubando um adversário poderoso atrás do outro, incluindo Uruguai e Bélgica. Na final emocionante, venceu a Croácia de Luka Modric, eleito melhor jogador do mundial, por 4 a 2, e se tornou bicampeã. O sonho do hexa foi adiado mais uma vez. Para o torcedor brasileiro restaram apenas os memes, de Neymar rolando pela grama ao Canarinho Pistola, mascote do time que simbolizou bem o sentimento sobre o desempenho da nossa Seleção.