Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

A boa forma de Jennifer Lopez é de fazer cair o queixo de qualquer um. Ao divulgar um ensaio fotográfico em que ficou nua para promover sua linha de produtos, no entanto, a cantora e atriz foi criticada pelo excesso de retoques nas fotos. O fato é que, após fazer publicidade de seus cremes, ela mesma admitiu que cresceu vendo a luta sem fim de sua mãe contra a celulite. “Lembro de vê-la desejando que houvesse uma fórmula mágica que fizesse esse problema desaparecer”, disse. “A verdade é que sabemos que isso não existe”, confessou a estrela. Quem não está muito preocupado com o assunto é seu eleito, o ator Ben Affleck:  os dois preparam uma disputadíssima festa de casamento para as próximas semanas em Hollywood.

Aprendiz de feiticeiro

Rupert Grint, intérprete do bruxo Ron Wesley na franquia Harry Potter, causou alvoroço entre os fãs durante sua passagem pelo Brasil. Ao participar do festival UcconX, em São Paulo, o astro de 33 anos revelou o curioso nome da filha, Wednesday (Quarta-Feira), e contou que ela já dá os primeiros passos no mundo da franquia que lhe trouxe fama: “Ela tem dois anos e já tem uma varinha”. Disse ainda que eles assistem aos filmes juntos e já sabe até fazer um feitiço: “Já a ensinei a fazer o Wingardium Leviosa [feitiço de levitação]”, diverte-se.

O sucesso de Pantanal

Se há um fenômeno em Pantanal, da Globo, é Isabel Teixeira. A intérprete de Maria Bruaca conquistou o público como a mulher maltratada pela vida e pelo marido. Entre sequências cômicas e dramáticas, o talento da atriz de 48 anos vem cativando os telespectadores. Ela, no entanto, confessa que estranha o clamor. “Ainda não entendi direito. Acho que precisa de um pouco de distanciamento histórico para compreender a amplitude disso”, diz à IstoÉ. Nas redes sociais, seu nome está entre os assuntos mais comentados: “Estou aprendendo a usar o Twitter”, diverte-se. “E tenho percebido que o alcance é grande”. Até o final da produção, Bruaca roubará a cena mais vezes. Como uma onça, Isabel defende sua personagem. “É preciso coragem para dar um passo no compasso do seu coração. A Bruaca vive um processo de mudança, que é o que faz com que mulheres e homens se identifiquem com ela”.

Vilã em turnê

Antagonista em Além da Ilusão, da Globo, a atriz Duda Brack se diverte com as maldades em sua estreia na TV. Sua personagem, Iolanda, foi uma pedra no sapato de Isadora, interpretada por Larissa Manoela: “Acho mais gostoso fazer a vilã. Confesso que os papeis que tenho fetiche em fazer são os mais malucos, fora da curva, conflituosos e apimentados”. Com o término da novela, a atriz, que também é cantora, se prepara para viajar pelo Brasil. “Em agosto retomo minha agenda de shows. Estou montando a agenda da turnê de Caco de Vidro, meu segundo disco”, comemora. “Em alguns shows, teremos até a participação de Ney Matogrosso”.

Debate necessário

Marieta Severo marcou uma geração como Dona Nenê em A Grande Família, da Globo. Hoje, a atriz está em cartaz no cinema em um potente papel de mãe em Aos Nossos Filhos. Na história, ela vive Vera, uma mulher que não consegue aceitar a união homoafetiva da filha. A temática LGBTQIA+ levanta um debate necessário: “Ainda existe preconceito, tanto nas gerações passadas como entre as novas”, afirma a veterana. O longa é baseado na peça homônima de Laura Castro, que retrata experiências de sua própria vida. Para ela, o filme é importante diante da “onda de retrocesso que vive o País”. A diretora Maria de Medeiros também elogia o enredo: “O texto vem da experiência da autora como mãe de três filhos com outra mulher”. Marieta, por sua vez, prova que, seja no humor ou no drama é, cada vez mais, a “mãezona” da TV e do cinema brasileiro. “Vou torcer por personagens que me tornem a avó do Brasil”.

Ao mestre com carinho

Encerrado o reality show The Voice Kids 2022, na Globo, Carlinhos Brown retoma seus projetos na música. Em setembro, o artista será o anfitrião do Lalata – II Festival Internacional de Percussão. O evento receberá renomados instrumentistas no Candyall Guetho Square, em Salvador (BA). “Estaremos homenageando os maiores mestres da história rítmica no mundo, como Naná Vasconcelos”, anunciou. “São nomes que transformaram a história percussiva mundial”. Vasconcelos morreu em 2016, apenas dez dias após a primeira edição do festival.