Edição nº2543 14/09 Ver edições anteriores

A facada que deve mudar tudo

Antes mesmo da facada que levou em Juiz de Fora, já estava claro que o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) estava garantido no segundo turno. Até então com 22% nas pesquisas, tudo indicava que dificilmente seria ultrapassado pelos adversários e que uma das duas vagas para o segundo turno seria sua. Naquela altura, a segunda vaga estava sendo disputada por Ciro Gomes (PDT), Marina Silva (Rede) e Geraldo Alckmin (PSDB). Mas, com a facada, o discurso de que ele era o radical, o intransigente, etc, caiu por terra.

Os opositores, sobretudo da esquerda mais virulenta, passaram a dividir essa pecha do radicalismo mais exacerbado. De radical, Bolsonaro passou a ser vitima da truculência. É possível que vire mártir dessa guerra de torcidas, do nós contra o eles. Vai dar para ter uma ideia melhor desse quadro na noite desta segunda-feira, quando o Datafolha divulgar as pesquisas feitas nesta segunda-feira mesmo, a pedido do Jornal Nacional da TV Globo. Afinal, a pesquisa do Datafolha já vai refletir o que o eleitor achou do atentado a Bolsonaro.

Tem muita gente que estava enrustida e indecisa e que agora, após o atentado, pode optar pelo voto no ex-capitão do Exército, com todos os seus defeitos, de homofóbico, de racista, de misógino e de tudo o mais que falam contra ele. Tem pesquisas informais feitas por um banco que dizem que Bolsonaro pode estar na faixa de 28% a 30%. Basta ver o que o Datafolha vai apontar. Afinal, o Datafolha sempre é mais confiável.

Se o candidato do PSL realmente atingir os 30%, vai entrar no segundo turno com muita força. Antes, o Ibope dizia que ele não venceria ninguém no segundo turno, de Ciro, a Marinha e passando por Alckmin. Só perdia para Haddad, mesmo assim em empate técnico. Basta saber se nas pesquisas do Datafolha desta noite esse cenário será alterado, mas parece que Bolsonaro será osso duro de roer. Se vai ganhar no segundo turno, ainda é cedo para dizer. Mas que ele aumentou suas chances depois da facada lá isso aumentou em muito.


Mais posts

Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.