Edição nº2551 09/11 Ver edições anteriores

A corrida de Dino

ANTAGONISTA Dino quer se colocar como contraponto ao modelo de governo conservador de Bolsonaro (Crédito:Adriano Machado)

Varrer do mapa político a família Sarney já parece pouco para o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB). Passado o período eleitoral, ele continua usando as redes sociais para atacar duramente o presidente eleito Jair Bolsonaro. Uma tática que alguns de seus aliados têm considerado arriscada. Os governos estaduais dependem muito do governo federal, e Dino pode acabar isolando o Maranhão. Porém, o que move Dino é o desejo de se colocar desde já na corrida para 2022 como opção de esquerda. No PCdoB, ele é apontado como nome a ser trabalhado. Dino construiria do Maranhão uma proposta de governo que se contraponha ao modelo conservador que se instalará com Bolsonaro. Para isso, a ideia é colocá-lo como um crítico ativo do novo governo.

Os juízes

Se Flávio Dino conseguir se capitanear como opção, o cenário eleitoral de 2022 pode ter algo inédito: uma disputa de dois ex-juízes federais pelo Palácio do Planalto. O juiz Sergio Moro é desde já tido como a opção eleitoral de Jair Bolsonaro, que declara ser contrário à reeleição e que, por coerência, não a disputará.

O vácuo

Dino e Moro são evidências do maior protagonismo político que o Judiciário passou de fato a exercer no país nos últimos tempos. Para analistas, fruto do enfraquecimento do Executivo e do Legislativo diante dos vários casos de corrupção, que tiraram a força dos dois poderes. Como diz a máxima política: o poder desconhece vácuo.

Fogo amigo

Geraldo Bubniak/AGB

Integrantes do PSL tentam minar, nos bastidores, as tentativas da deputada eleita Joice Hasselmann de se cacifar para cargos de destaque no ano que vem. Ela tem se autoproclamado candidata à liderança do governo na Casa. O problema é que muitos no PSL consideram que ela é excessivamente “personalista”, o que poderia atrapalhar o governo Bolsonaro nos primeiros meses.

Rápidas

* O PSL fez uma espécie de cursinho para os novos deputados federais eleitos. O partido elegeu 52 deputados, virou a segunda maior bancada da Câmara e terá peso forte no debate político.

* A bancada do PSL é praticamente toda formada por novatos, boa parte deles na primeira experiência política. O cursinho em São Paulo visou dar eles os conhecimentos mínimos sobre o funcionamento do Legislativo.

* Assim, tentarão diminuir os riscos de uma atuação amadora. Os novos deputados aprenderam sobre o funcionamento da Câmara, seus protocolos, regimentos, direitos e limites de atuação parlamentar, táticas de votação e de obstrução, entre outros temas.

* No início da semana, o Instituto Paraná Pesquisas pesquisou repercussão da escolha de Sergio Moro como ministro da Justiça. Para 82,6% dos entrevistados, a escolha foi um acerto. Para 14,6%, o novo governo errou na escolha.

Retrato falado

“Temos o dever da harmonia” (Crédito:Divulgação)

Tanto na cerimônia de comemoração dos 30 anos da Constituição, quanto no dia seguinte, em reunião oficial, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Antônio Dias Toffoli, fez questão de marcar nos seus encontros com o presidente eleito, Jair Bolsonaro, a defesa do respeito à Constituição e à harmonia entre os poderes. A pressão teve efeito. Bolsonaro deixou Brasília dizendo que a Constituição será seu único norte e que ninguém, sozinho, vai salvar a Pátria.

PSL e Previdência

Não há mais dúvida que aprovar a reforma da Previdência é desde já o maior desafio imposto ao novo governo. As dificuldades em torno do projeto atingem mesmo integrantes do próprio PSL, o partido do presidente. Membros da nova bancada admitem nos bastidores que poderão mesmo votar contra a proposta, caso não haja alguma flexibilidade em pontos considerados vitais como a idade mínima. Também já há um debate intenso em torno de possíveis exceções a novas regras. Alguns brigam para que a nova regra seja para todos. Já outros, ao contrário, lutam por regimes específicos para categorias que representam, como policiais e militares.

Toma lá dá cá

José Maria Eymael (Crédito:Divulgação)

Há quem tema que o governo Bolsonaro possa apresentar um risco de ruptura democrática. O senhor concorda?
Não, muito pelo contrário. O governo eleito tem um princípio de democracia cristã que eu sempre defendi.

Qual será seu papel no novo governo? O senhor pretende disputar novas eleições?
Acho que o projeto de democracia cristã está encaminhado. Então, não me vejo mais como candidato em um projeto que agora já tem um representante presidencial.

Então, não haverá mais “Ei, ei, Eymael”?
Já fui candidato umas 505 vezes e acho que agora preciso trabalhar e cuidar do partido. Uma candidatura à presidência não é algo que faça parte dos meus planos. Quero ajudar o Brasil, mas de outra maneira a partir de agora.

Youtube

Outro fator que pode complicar será o comportamento do que vem sendo chamado de “Bancada do Youtube”, uma turma de parlamentares que se elegeu graças à sua atuação nas redes sociais. Avalia-se que essa bancada tende a ser muito susceptível aos humores da sociedade via internet.

Digitais

Antenado com os novos momentos, o deputado Eduardo da Ponte (PP-PE) apresentou dois projetos de lei que regulamentam as profissões de Youtuber e Inflenciador Digital. O deputado quer garantias às duas novas profissões que, aliás, ajudaram a eleger grande bancada. Segundo ele, muitos profissionais trabalham nessas áreas sem contrato de trabalho.

Divulgação

Jornada de trabalho

O projeto do deputado Eduardo da Ponte prevê jornada de trabalho de seis horas diárias ou 30 horas semanais para os Youtubers e Influenciadores Digitais. Incluindo nesse horário tempo para pesquisa, para a preparação de cenários e para as gravações, como uma garantia de intervalo mínimo de descanso de 45 minutos ao longo do dia.

Temer, o afável

Marcos Corrêa/PR

Durante a Sessão Solene em comemoração aos 30 anos da Constituição, o presidente Michel Temer (MDB) fez questão de dar boas vindas aos deputados recém eleitos e que assumirão o mandato em fevereiro. Ao deputado eleito Alexandre Frota (PSL-SP), ele não somente o cumprimentou como ainda perguntou se ele queria um copo d’água.


Mais posts

Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.