Cultura

“A censura no Brasil hoje é um fato”, diz Wagner Moura durante sessão de ‘Marighella’

Crédito: AFP

Cineasta brasileiro Wagner Moura durante coletiva de imprensa do filme "Marighella", em 15 de fevereiro de 2019, no Festival de Berlim (Crédito: AFP)

Wagner Moura disse  no último domingo (17) durante debate em Lisboa, em Portugal, após exibição de seu filme “Marighella” que é vítima de censura. “Não estava preparado para o filme não estrear no Brasil, quando nós já tínhamos uma data de estreia, tudo combinado (…) A censura no Brasil hoje é um fato”.  As informações são da Folha de S. Paulo.

O filme estava previsto para estrear nesta quarta-feira (20), Dia da Consciência Negra, e no mês em que se completa 50 anos de morte do guerrilheiro e teve sua estreia adiada. O ator e diretor disse que vai “continuar lutando para que a estreia aconteça” e que espera que o filme possa ser lançado no próximo ano.

Moura ainda criticou as políticas culturais do governo de Jair Bolsonaro. “O presidente declarou guerra à cultura”, disse.

Em nota, a O2 Filmes, produtora do filme, disse que o filme teve a estreia adiada porque “não conseguiram cumprir a tempo os trâmites exigidos pela Ancine (Agência Nacional do Cinema).”