Cultura

A 13ª edição da SP-Foto reúne centenas de imagens assinadas

Criada em 2007, a SP-Foto – Feira de Fotografia de São Paulo chega à 13.ª edição trazendo fotógrafos internacionais como o uruguaio Yamandu Canosa, que está na Bienal de Veneza de 2019 com a instalação La Casa Empatica, que trata de temas como território, identidade e miscigenação. Ao lado de Canosa estão outros grandes profissionais da fotografia, entre eles o alemão (naturalizado austríaco) Helmut Newton (1920-2004), nome associado à moda, e o brasileiro Sebastião Salgado, com imagens de um Brasil ameaçado de desaparecer – fotos das últimas tribos indígenas do País.

Pilotado pela empresária Fernanda Feitosa, a SP-Foto transformou-se nesses 13 anos numa plataforma de lançamento de jovens fotógrafos e atraiu um número significativo de colecionadores estrangeiros, além de curadores de museus que todo ano desembarcam em São Paulo para participar de um ciclo de palestras (chamado Talks). Na edição deste ano estão três curadoras que vão discutir desde a fotografia na era digital até a intersecção entre a fotografia e a arte contemporânea. São elas a futura curadora da Triennale do New Museu (em 2021), Margot Norton, que assina também a curadoria da primeira retrospectiva da artista britânica Sarah Lucas nos EUA, a especialista em fotografia Barbara Tannenbaum, que fez crescer em cinco vezes o acervo do Cleveland Museum, e a venezuelana Julieta González, diretora artística do Museo Jumex, que atuou na Tate.

São 33 galerias e 43 expositores e um número recorde de curadores estrangeiros convidados desta edição, entre eles Simon Baker, novo diretor, desde maio do ano passado, da Maison Européenne de la Photographie, e ex-curador de Fotografia da Tate Modern, além de professor de história da arte. Nomes como Baker não só projetam fotógrafos brasileiros lá fora como fazem crescer o acervo de fotografia do País em museus estrangeiros. Exemplo disso foram as recentes aquisições de fotógrafos modernos brasileiros, egressos do histórico Foto Cine Clube Bandeirante, pelo MoMA de Nova York (instituição que coleciona fotos de autores do País há 60 anos, com imagens recentes de Mauro Restiffe e Miguel Rio Branco no acervo, os dois na SP-Foto).

Fernanda Feitosa, criadora da feira, destaca a presença de jovens fotógrafos ao lado dos veteranos. É claro que um autorretrato da norte-americana Francesca Woodman (1958-1981), que se matou aos 22 anos, pode custar uma fortuna (algo entre US$ 7 mil e US$ 30 mil), mas há outros talentos à espera de serem descobertos.

SP-FOTO

JK Iguatemi. Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 2.041, tel. 3152-6800. Abre 4ª (21), 17h/21h. 5ª a sáb., 14h/21h; dom., 14h/20h. Até 25/8

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.