Brasil

Chute no sapo

O caso do ?trabalho? desfeito para tirar da fila o Corinthians de Vicente Matheus

Histórias misteriosas são comuns na rotina do médium paulista Robério Alexandre Bavelone, o Robério de Ogum. A mais recente delas ocorreu na segunda-feira 20, na gravação do programa Os místicos, apresentado por ele e marcado para ir ao ar no sábado 25, às 14 horas, na Rede 21, do grupo Bandeirantes. A convidada era Marlene Matheus, corintiana folclórica e ex-mulher do ainda mais folclórico Vicente Matheus, ex-presidente do clube em três longos períodos, morto em 1997. Vicente é autor de pérolas como “minha gestação foi a melhor que o Corinthians já teve”, “espero que os corintianos compareçam para naufragar meu nome nas urnas”, “o Sócrates é invendável e imprestável”, “o pato é um animal aquático e gramático”, “haja o que hajar, o Corinthians vai ser campeão” e, bem a propósito, a legítima antecipação espiritual do lançamento da AmBev: “Quero agradecer à Antarctica pelas Brahmas que nos mandou.”

Marlene dava entrevista quando Robério avisou: “O sr. Vicente está aqui, falando comigo.” Ele teria recomendado à ex-mulher que se unisse na oposição a Adilson Monteiro Alves, dirigente da Democracia Corintiana nos anos 80, e cuidasse bem do patrimônio, citando “uma certa pedreira”. Marlene admite que não recebeu as últimas prestações de R$ 150 mil do comprador de uma pedreira da família. E, aproveitando o fato de estar diante de um médium, lembrou-se da ida de um amedrontado Vicente à sede do Corinthians, em outubro de 1977, com “um rapaz pai-de-santo” que teria recebido “mensagens sobre um trabalho espiritual enterrado atrás de uma das traves” do campo principal. “O trabalho, incluindo um sapo, foi localizado e retirado”, afirmou Marlene a ISTOÉ. O episódio teria ocorrido dois dias antes da vitória do Corinthians por 1 a 0 contra a Ponte Preta, que tirou o time paulistano da fila de 23 anos sem um campeonato estadual. O que Marlene não se recordava é que o “rapaz pai-de-santo” era o próprio Robério, na época poucos dias antes de completar 23 anos. “Na entrevista, Robério lembrou-se de detalhes como a cor e o modelo da jaqueta usada pelo Vicente no dia e até dos tomates assados que preparei antes de sairmos”, afirmou. “Fiquei emocionada.” O médium evita afirmações definitivas. “Pode não ter sido o fator mais decisivo, mas aquilo atraía forças negativas e atrapalhava a trajetória vitoriosa”, diz Robério. Com a tranqüilidade dos íntimos.