Edição nº2535 20/07 Ver edições anteriores

Paris no mapa

Mateus Bonomi

Paris no mapa

No xadrez político sobre quem sai ou fica no governo até 7 de abril, prazo limite para os que disputarão as eleições de outubro, uma situação indefinida é a de Aloysio Nunes. Ele almoçou com Michel Temer na quarta-feira 28 e saiu do encontro em silêncio. O chanceler tucano é poliglota, ao contrário de muitos políticos que passaram pelo Itamaraty (Itamar Franco, Paes de Andrade, José Aparecido de Oliveira etc), assumindo postos no exterior sem dar um pio em inglês, idioma básico nas relações internacionais. Se Nunes ficar no MRE e Temer for reeleito, seu provável destino será a nossa embaixada na França, país onde viveu por anos, como asilado político.

Brasil
Sem grana

Dia 1º de abril, os auditores da Receita Federal completam cinco meses de “operação-padrão” – eufemismo para omissão de trabalho. Nesse “movimento”, ninguém liga o computador às segundas e sextas-feiras. Nos demais dias, apenas 30% trabalham. A categoria quer ganhar “bônus por produtividade e eficiência”, enquanto exportadores e importadores, que não têm culpa no cartório, amargam brutal prejuízo.

Política
Olhos no cenário

Quatro coisas para se prestar atenção nos próximos dias. Primeira, o domicílio eleitoral de Dilma Rousseff? Especula-se Minas Gerais ou Piauí, estados onde os governadores são amigos dela. Correm rumores de que, no PT gaúcho, será difícil obter vaga para concorrer à Câmara dos Deputados ou ao Senado. Mais: Luciano Huck se filiará ou não ao Partido Novo, ao PPS ou a Rede? Inscrito poderá disputar convenção partidária, entre 20 de julho e 5 de agosto. Terceiro: o mesmo vale para Joaquim Barbosa (e o PSB). Finalmente, os procuradores da Lava Jato. Se algum deles decidir entrar na política, o prazo de filiação também é dia 7 agora.

São Paulo
Vaivém

Marcelo Camargo/Agência Brasil

Presidente do PSD, Gilberto Kassab desistiu de ser vice na chapa de João Dória (PSDB) ao governo de São Paulo. Quer indicar um nome. Portanto, ele ficará no Ministério da Ciência, Tecnologia e Comunicações até dezembro. Da pasta sai na esperança de ser eleito para a Câmara dos Deputados o presidente da ECT, Guilherme Campos – estatal muito criticada por sua ineficiência. Torcedor da Ponte Preta, a sua base eleitoral é a região de Campinas.

Direito
Mãos dadas

Luis Macedo

Advogados da União e técnicos do Ministério da Saúde estudam ação conjunta que permita ao SUS receber das operadoras de planos de saúde os gastos com segurados atendidos na rede pública. A tese é antiga mas ganhou força, em fevereiro, quando o STF validou tal cobrança. Nos acidentes de trabalho, provada a culpa da empresa, a AGU tem obtido relativo sucesso em processos de reembolso. Em 2017 foram ajuizadas quase 5 mil ações. Se o resultado for 100% positivo, o INSS receberá cerca de R$ 2 bilhões.

Coelhinho
Doces mimos

Não vai ser como as Páscoas de outrora, mas os presos da Lava Jato que cumprem pena no Complexo Médico Penal, em Pinhais, no Paraná, ganharão um “mimo” nesse domingo 1º. Cada um, incluindo o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha e o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, vai receber 3 mini barras de chocolate e dois pacotes de biscoito. Inicialmente, os presentes só seriam distribuídos às internas, mas a direção do presídio resolveu incluir os homens na festa.

Tabaco
Fumaça forte

Divulgação

A indústria do tabaco dá baforadas de alegria no Brasil. No primeiro bimestre, a produção de cigarros somou 522 milhões 659 mil 879 maços (20 unidades). Foi o melhor resultado dos últimos cinco anos. Como se trata de mercadoria perecível – e nociva à saúde – é lógico vincular fabricação com consumo. Modestas em relação ao mercado nacional, também medidas em maços, as exportações foram igualmente positivas (11,6 milhões) com volume inédito desde 2013.

Estatais
Mal nas estatísticas

Vinculadas ao Ministério da Fazenda, as duas estatais de tecnologia da informação do governo não foram bem avaliadas em auditoria do TCU. A Dataprev e o Serpro têm baixos índices de eficiência e produtividade no desenvolvimento de sistemas, quando comparadas às empresas privadas. E entre elas, uma é ainda pior: o custo médio por chamado na Central de Serviços da Dataprev é 66% maior do que no Serpro, no período analisado. O tribunal mandou adotarem ações urgentes para melhorar os resultados, no prazo de seis meses. E em 90 dias apresentarem aos insatisfeitos clientes demonstrativos de formação de preço de cada serviço.

Justiça
Artimanha perigosa

Apesar de muito criticado o pagamento de auxílio-moradia a todos os magistrados do País, seguem os penduricalhos no Judiciário. Em decisão surreal, o CNJ deu “ok” para juízes do TJ do RJ receberem por atuação em audiências de custódia – sessões de julgamento realizadas para decidir sobre a prisão de pessoas detidas em flagrante. Ou seja, paga-se por algo que é da natureza do trabalho do magistrado. No caso, o benefício equivale a um terço do salário – uns R$ 8,6 mil. Válido imaginar que o aval do conselho deverá levar outros tribunais a adotarem tal medida.

Fertilizantes
Queda de braço

Antes de anunciar ao mercado o desligamento das fábricas de fertilizantes (Fafen) da Petrobrás na Bahia e em Sergipe, na quarta-feira 28, Pedro Parente se reuniu na véspera, no Congresso, com deputados, senadores e representantes dos governos estaduais, todos temendo os impactos da medida nas economias locais. O máximo obtido: a produção seguirá por 120 dias. A estatal alega prejuízo de R$ 800 milhões com as unidades, em 2017. Os políticos afirmam que a decisão da Petrobras fechará cinco indústrias dependentes da Fafen, já que o Porto de Aratu (BA) não tem estrutura para importar matéria prima.

STF
Data venia

Além dos 60 dias de férias, dos recessos, dos feriados e tudo mais, o Supremo registra outro indicador de trabalho que o diferencia da ralé contribuinte. Em 2017, por nada menos que 136 vezes, seus ministros faltaram, saíram mais cedo ou chegaram atrasados às sessões. A única e louvável exceção foi Rosa Weber, sem nenhuma falha
no ano.

Religião
Só para quem crê

Evaristo Sa

Em Minas Gerais, política e religião não se separam. Aliás, como em muitas partes do Brasil. Antes da Procissão de Nosso Senhor Morto, na sexta-feira 30, um dos mistérios era descobrir se Aécio Neves iria carregar a chama da lanterna de prata à frente dos fiéis, junto ao caixão onde simbolicamente está o corpo de Jesus. Por anos fez isso em São João del Rey, repetindo o gesto do avô Tancredo Neves. A emblemática cerimônia marca o renascimento de Jesus. Na política, enrolado que está na Lava Jato, não se tem certeza de que Aécio ressuscitará na eleição de outubro.

Medicamentos
Ai, ai!!

Ao que parece tem muita gente com dor muscular por aí. Na lista de medicamentos mais vendidos no País, nos últimos doze meses até fevereiro, com incríveis 177% de alta, o Dorflex (Sanofi) ficou em primeiro lugar. O salto foi de 6 milhões de caixas/cartelas de plástico para 16,4 milhões. Quem diz é a consultoria IQVIA, que audita as indústrias do setor no Brasil

Tópicos

Ricardo Boechat

Mais posts

Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.