Em Cartaz

O mundo toma a 41ª Mostra de SP

Os destaques do festival mais importante do Brasil são os novos documentários do militante americano Al Gore sobre o aquecimento global e do artista chinês Ai Wei Wei sobre os refugiados

Em sua 41ª edição, a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo continua a investir na qualidade artística e no aumento do número de salas e filmes. Segundo Renata Almeida, diretora do festival, o objetivo neste ano é trazer filmes que denunciem a situação mundial tanto em termos do colapso climático como da crise humanitária, com o aumento das migrações de refugiados de guerra do Oriente Médio e África. A grande atração é “Uma Verdade Mais Inconveniente”, de Al Gore, filme que retoma o assunto do aquecimento global dez anos depois do filme que deflagrou o debate no mundo todo. Desta vez, Gore aborda as saídas para o problema por meio das novas tecnologias.

O documentário “Human Flow – Não Existe Lar Se Não Há Para Onde Ir”, do artista chinês Ai Wei Wei, abre o evento no dia 19, retratando o drama dos exilados. Wei também desenhou o cartaz da Mostra. Ela não se faz só de temas urgentes. São 394 filmes em todos os gêneros que se organizam em seis seções: Apresentações Especiais, Homenagens, Foco Suíça, Competição Novos Diretores, Mostra Brasil e Perspectiva Internacional. Em 35 salas da cidade de São Paulo, de 19/10 a 1º/11.

 

10 ANOS DEPOIS Al Gore volta a locais afetados pelo aquecimento global (Crédito:Paramount Pictures and Participant Media)