Edição nº2497 20.10 Ver edições anteriores

Fim da picada?

Crime
Fim da picada?

AP Photo/Felipe Dana, File

Uma denúncia circula em Brasília e precisa ser investigada com rigor, principalmente pela Polícia Federal. Técnicos da Coordenação Geral de Laboratórios do Ministério da Saúde estariam dando mostras de soros de pacientes com positivo para Zika, Chikungunya e Dengue, para empresas utilizarem o conteúdo com os anticorpos dessas doenças, testando os kits de diagnóstico que fabricam. Quem recebe o “contrabando” acelera o desenvolvimento do seu conjunto, passando a perna em empresas que fazem tudo com transparência. Supor que pessoas possam estar obtendo “vantagens” no processo não é mera ficção.

Brasil
Questão de prioridade

Um estudo feito na Fundação Casa, que abriga menores infratores em São Paulo, mostrou que cada adolescente interno (menos de 5% envolvidos em homicídios) custa aos contribuintes, por mês, R$ 10.357,39. Se esses mesmos jovens estivessem estudando numa escola pública, o gasto da sociedade para mantê-los no ensino médio seria de R$ 988,92 por aluno (calculo do Plano Nacional de Educação/2017). Nada contra o debate sobre redução da maioridade penal, mas só um país muito burro cuidaria primeiro disso e, depois, daquilo.

Facções
Rixas na jaula

As amabilidades trocadas por Lúcio Funaro e Geddel Vieira Lima na Papuda, em Brasília, incluem temperos que não chegaram a ser divulgados na quinta-feira 5, quando a notícia veio à tona. Além da troca de ofensas e ameaças de morte, o doleiro teria dito ao ex-ministro que pagaria a três outros presos para “darem um calor” no político baiano, transformando-o em “menina da cadeia”.

Lava Jato
Amada amante

Até agora sem vazamentos, a delação premiada da doleira Nelma Kodama (ex-amante de Alberto Youssef, famosa por ter sido presa com 200 mil euros na calcinha) soma nada menos que 30 anexos. Suas páginas reúnem figuras da política, do mercado financeiro, do empresariado e até mesmo do Judiciário. A colaboração, homologada em março deste ano, ainda está guardada a sete chaves pela Força Tarefa de Curitiba. Por que será?

Igreja
Com o terço nas mãos

Renato Araújo

O Planalto vê com apreensão a cerimônia na qual o Papa Francisco irá canonizar 30 vítimas dos massacres de Cunhaú e Uruaçu, no Rio Grande do Norte, no domingo 15. É que o ato será precedido por missas, uma delas celebrada por Dom Leonardo Steiner (foto), secretário-geral da CNBB. Teme-se que o religioso, na homilia de saudação aos mártires, faça críticas às políticas do governo, representado no Vaticano pelo ministro Moreira Franco. Aliás, há quem afirme que o bispo, primo de Dom Paulo Evaristo Arns, escolheu Leonardo como nome religioso em homenagem a Leonardo Boff, de quem é amigo. Eles estudaram juntos em Petrópolis (RJ).

Direito
Lição na morte

Alexandre Rezende

A seccional da OAB-SP fará um desagravo nesta segunda-feira 9 a Antonio Claudio Mariz de Oliveira. Considera que ele fo i ofendido ao atuar na defesa de Michel Temer. Presidente do IAB e principal orador, Técio Lins e Silva (foto) aproveitará a hora para criticar a proposta de censura às conversas de advogados com seus clientes: “quantas mortes serão necessárias para dar um freio nesse punitismo doentio?”. O criminalista vai lembrar o reitor afastado da UFSC, Luiz Olivo, que se suicidou ao se ver envolvido numa polêmica prisão feita pela PF.

Hemoderivados
Corte na veia

O TCU e o MPF avaliam a insistência do ministro da Saúde, Ricardo Barros, em incluir o Tecpar (laboratório oficial do Paraná) num projeto de R$ 600 milhões por ano, para a produção de Fator IX recombinante no País. De início, quis construir uma fábrica de hemoderivados em Maringá, na sua Paraná, em parceria com a Octopharma. Como isso, tornaria a Hemobrás uma estatal fantasma, a bancada de políticos e ministros pernambucanos caiu de pau. Agora voltou a carga para colocar a Tecpar sócia da Hemobrás no negócio, apesar da experiência do laboratório na área se resumir a uma vacina antirrábica para animais. Em tempo: na Lei Orçamentária de 2018, o Ministério da Saúde destinou zero (isso mesmo) para investimentos na Hemobras.

Meio ambiente
Na seca

Felipe Dana/AP

O maior reservatório do Brasil em área alagada, o de Sobradinho, na Bahia, vai entrar em volume morto no dia 23. Pela primeira vez isso irá acontecer, desde a sua criação na década de 80. A previsão da Codevasf deixa clara a gravidade da seca na região Nordeste. Na semana passada estava com 4,7% de sua capacidade. A situação poderá agravar o funcionamento de importantes hidrelétricas do País, como a de Paulo Afonso. As primeiras chuvas que aliviarão paulatinamente o problema estão previstas para o final de novembro.

Assalto
Mão leve

A nova política de preços adotada pela Petrobras prometia beneficiar os consumidores sempre que a cotação internacional do petróleo sofresse queda. Mas a vida dos brasileiros é dura. No últimos 30 dias, a estatal reduziu em 10,2% o preço da gasolina e em 2,6% o do diesel que vende. Dados da Agência Nacional do Petróleo, entretanto, mostram que, no mesmo período, os valores cobrados pelos dois combustíveis nos postos subiram, respectivamente, 2,6% e 2,2%. A tunga é obra das distribuidoras e dos postos. Desnecessário dizer que, quando o preço sobe nas refinarias, o repasse é imediato e total.

Internacional
Vapt-vupt

Os ministérios das Relações Exteriores e o Itamaraty já trabalhavam, na quinta-feira 5, sobre a extradição do ex-ativista Cesare Battisti para a Itália. Naquele país ele foi condenado à prisão perpétua, na década de 70. O presidente quer clareza se precisa consultar o STF, que em 2009 deixou a decisão de extraditar o italiano (ou não) nas mãos de Lula. Temer afirmou na semana passada que dará rápida solução ao caso.

Planos
Novo ataque

Derrotados no STJ, os bancos abriram nova frente, desta vez no Supremo Tribunal Federal, para tentar melar o pagamento de indenizações aos poupadores lesados na edição dos planos econômicos (Collor I e II, Bresser e Verão). Agora, a pretensão é simplesmente suspender os pagamentos que já vinham sendo feitos por ordem judicial. São milhares de processos. A relatoria caiu nas mãos do ministro Dias Tóffoli.

ABL
De saída?

Javier Etxezarreta

Autor de vários best sellers internacionais, Paulo Coelho cogita escrever um dos textos mais difíceis de sua vida. Endereçado ao presidente da Academia Brasileira de Letras, Domício Proença Filho, nele pediria a retirada de seu nome e de seu perfil do sítio da instituição. Não se sabe se o imortal levará ao fim o plano, que equivale a um desligamento. A única renúncia registrada nos anais foi a de Graça Aranha, em 1924. Todas as demais vagas na história da ABL foram abertas por morte do titular.

Política
0800

Divulgação

Um dos maiores consultores de crise do País e alvo da Operação Acrônimo, por contratos com Carolina Oliveira, mulher do governador Fernando Pimentel (PT-MG), Mario Rosa tem falado regularmente com Lula. Ao contrário de seus outros clientes, do ex-presidente nada cobra.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2017 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.