Ediçao Da Semana

Nº 2743 - 19/08/22 Leia mais

A dor de cabeça é um sintoma é comum e desagradável. Ao “UOL Viva Bem”, de onde são as informações, o neurologista Marcelo Freitas Schmid, destacou que as causas comuns são “a falta de sono, estresse, exposição a ruídos altos, óculos inadequados, adereços apertados na cabeça ou resultante de um consumo alimentar desequilibrado e excesso de bebidas alcoólicas”.

+ Acabe com as dores de cabeça com 5 remédios naturais cientificamente comprovados

+ Café pode reduzir o risco de câncer em mulheres, afirma estudo

Segundo a Sociedade Brasileira de Cefaleia, “95% da população apresentará uma dor de cabeça ao longo de sua vida. Cerca de 70% das mulheres e 50% dos homens apresentam pelo menos um episódio de cefaleia ao mês”. Quando isso acontece, recorrer a analgésicos tende a ser a primeira opção de muitos, mas alguns métodos naturais podem substituir o uso das drogas. Vale ressaltar que a recorrência pode ser um sinal de alerta e merece acompanhamento médico.

Confira a seguir os cinco melhores chás para a dor de cabeça:

Chá de camomila

Os efeitos calmantes do chá de camomila são populares. Além disso, essa bebida atua como sedativa e relaxante da musculatura lisa, por isso é uma ótima opção para os dias de cefaleia. 

“Você pode beber o chá de duas a três vezes ao dia ou assim que a dor de cabeça começar”, indica a nutricionista Amanda Marcuartú.

Chá de lavanda 

Essa é uma opção para a dor de cabeça ocasionada pelo estresse. Assim como os óleos essenciais, o chá de lavanda tem ação calmante natural e pode aliviar a tensão emocional.

Chá de gengibre 

Rico em propriedades anti-inflamatórias e vasculotônicas, o gengibre pode ser um aliado as crises de dor de cabeça. No entanto, deve ser evitado por mulheres grávidas ou lactantes.

Chá de cravo

O chá de cravo também tem ação anti-inflamatória e atua como relaxante muscular, favorecendo a redução da cefaleia.

Chá de hortelã

O popular chá de hortelã também cai bem nesse momento, graças as suas propriedades analgésicas, anti-inflamatórias e calmantes. Porém, deve ser evitado por menores de dois anos, lactantes e pacientes com inflamações estomacais ou cálculos biliares.