Saúde da mulher

5 erros que você está cometendo com sua vagina, segundo os especialistas

Crédito: Pexels

A vagina é uma das regiões mais sensível do corpo feminino, por isso, manter os cuidados e atenção adequada é essencial para a saúde e bem-estar das mulheres. Entretanto, nem tudo o que parece inofensivo é realmente benéfico para a microbiota vaginal, ou seja, pode trazer consequências para sua saúde íntima a curto ou longo prazo.

+ Orgasmo intenso: especialista ensina 3 técnicas para chegar lá


+ Outubro Rosa: tudo o que você precisa saber sobre a prevenção do câncer de mama

Listamos a seguir cinco erros que você pode estar cometendo com sua vagina. As informações são do jornal “The Sun”.

Não fazer xixi após o sexo

Uma prática simples que faz diferença para a saúde íntima é: urinar após o sexo — incluindo masturbação. Quando isso não acontece a mulher fica mais propensa ao risco de contrair cistite.

“Esse problema é mais comum em mulheres devido à anatomia. Nossa uretra é muito mais curta em comparação com os homens, então é mais fácil para entrada e proliferação de bactérias que podem causar irritação e infecção. É muito comum termos um surto de cistite pós-sexo, pois durante a relação sexual com penetração as bactérias podem ser empurradas para a bexiga e desencadear uma infecção do trato urinário”, explica a ginecologista Sarah Welsh.

Outra condição que pode ocasionar infecções, como a vaginose bacteriana, é passar do sexo anal direto para o vaginal sem a devida higienização.

Higienização

Exagerar na higienização e utilizar produtos perfumados e/ou inadequados também pode ser prejudicial, pois a lavagem vaginal incorreta pode alterar o pH da região íntima e resultar em infecções, como a vaginose bacteriana.

“Primeiramente, é importante ressaltar que: a vagina é autolimpante. A ducha vaginal não é recomendada, pois isso pode eliminar as bactérias boas da região, como os lactobacilos, que ajudam a manter o pH saudável”, destaca a médica.

Segundo a especialista, a higienização é simples e deve ser feita somente na área externa com água morna e sabão neutro na vulva — pequenos e grandes lábios. Em caso de mau cheiro, corrimento e coceira, é necessário procurar um ginecologista.

Utilizar desodorante íntimo

Spray desodorante íntimo para afastar o odor é mais um erro. Além de não ser a solução para o problema, essa prática pode prejudicar o equilíbrio natural da vagina e causar irritação na pele da vulva.

“Isso não remove o cheiro, nem melhora as coisas, apenas disfarça levemente por algumas horas. Sem mencionar os produtos químicos prejudiciais que costumam estar em produtos em spray. Muitos deles não são bons para o nosso corpo em geral, muito menos borrifá-los diretamente em uma das partes mais sensíveis”, esclarece Stephanie Taylor, especialista em saúde íntima.

Usar lenços umedecidos e papel higiênico perfumado

Qualquer produto que contenha perfumes é prejudicial à vagina, como lenços umedecidos e papel higiênico perfumado, pois podem alterar o pH da região e a deixar suscetível às infecções fúngicas e sintomas como coceira, vermelhidão e corrimento.

“Existe algum debate em torno dos lenços umedecidos na vagina, pois são produtos suaves. No entanto, é melhor evitar usar qualquer coisa na área íntima. Fique o mais natural possível para manter o equilíbrio restaurado e evitar a ocorrência de infecções. Use papel higiênico comum e sem cheiro e nada mais, a menos que seja instruída de outra forma por um profissional médico”, indica Stephanie.

Não ir ao ginecologista

Manter a consulta com o ginecologista em dia é essencial. A partir da primeira menstruação, passa a ser necessária a consulta anual com o especialista, de modo a prevenir qualquer problema. Além de realizar exames, aproveite o momento parar esclarecer todas as dúvidas sobre sua saúde íntima e sexual.