Comportamento

Para lavar a alma

Hotéis valorizam o lado místico de seus hóspedes com meditação e terapias alternativas

Depois da enxurrada de spas para emagrecer, desintoxicar ou acabar com o stress, surgem agora dois hotéis para cuidar da alma. Nesses locais, em vez do corpo, o que se valoriza é a busca da espiritualidade por meio do autoconhecimento. A proposta é intensificar o contato com a natureza através de muita meditação, caminhadas, alimentação leve e terapias alternativas, como massagens orientais. Um desses hotéis diferenciados, o Caminho do Reencontro, fica a 250 quilômetros do Rio de Janeiro, entre Paraty e Mambucaba, município de Angra dos Reis. O outro, Canto da Floresta, localiza-se perto da cidade de Amparo, região de água mineral, a 140 quilômetros de São Paulo.

O Caminho do Reencontro foi idéia de José Maurício Machline, empresário, produtor musical e apresentador do programa Por acaso, na TVE do Rio. Machline tem uma mansão em frente ao mar em Mambucaba. Ao atravessar a rodovia Rio–Santos, descobriu 20 alqueires de Mata Atlântica tombada, com 15 quilômetros de cachoeiras. “Adorei o lugar”, diz Machline. “As trilhas são fabulosas, mágicas. Caminhar por elas, encanta e traz muita paz.” Cada uma significando uma coisa: raiva, poder, angústia, dor ou alegria. “Enquanto se anda, todos os sentimentos devem ser repensados para se transformarem em emoções positivas”, ensina Machline.

O empresário fez várias vezes o caminho de Santiago de Compostela e teve longas conversas com o guru e escritor Paulo Coelho. Num desses bate-papos, surgiu o spa da alma, ainda em fase de embrião. A primeira turma, de amigos mais chegados, fez as trilhas e aproveitou as palestras místicas, organizadas por seu dono, em maio passado. Agora, um novo grupo, aberto ao público, acontecerá no feriado de 7 de setembro. Com refeição completa, aulas de meditação, terapia com canto e outras técnicas para melhorar a qualidade de vida (e da alma, claro), o hotel oferece um pacote de três dias por R$ 1.200 por pessoa.

Machline investiu mais de R$ 150 mil reais. Construiu um alojamento para homens e outro para mulheres, cada um com 26 camas, protegidas por mosquiteiros brancos. A infra-estrutura é perfeita para essa época de apagão: não há eletricidade. Velas e lampiões aliviam a escuridão da mata e todas as refeições são preparadas em fogão a lenha. O banho é aquecido por uma serpentina que passa pelo próprio fogão. Mas mordomia não falta. Para os longos passeios, serviçais levam lanche, bebida e um kit de primeiros socorros. Na sede principal, um médico fica de plantão 24 horas.

Já o Canto da Floresta, no interior paulista, é mais sofisticado. Mais do que um spa da alma, os empresários Luiz, Sônia, J. Roberto e Gilda Mesquita chamam o hotel de resort ecomístico (uma mistura de ecológico e místico). Há três anos, eles compraram uma fazenda abandonada, cheia de cachoeiras e descampados, e construíram um empreendimento colossal. Além de um refinado restaurante, bar, piscina, salas de jogos, centro de fitness, quadra de tênis, squash, três salões para convenções – em princípio, um hotel comum –, o Canto da Floresta oferece um parque místico completo: pirâmide para meditação, espaço para tai chi chuan, um templo do sol e um da lua – para captar a energia de cada um separadamente –, palestras e terapias alternativas, como shiatsu e florais. Há ainda as trilhas e os labirintos regidos por cristais de rocha, que, segundo a proprietária Sônia, “captam a força da natureza”.

Como terapeuta corporal, Sônia é quem pilota o hotel. Observa se estão em ordem os 66 quartos e apartamentos decorados por especialistas em feng shui – as paredes das suítes, por exemplo, são arredondadas e todas as camas têm suas cabeceiras voltadas para o norte. “Esses detalhes contribuem para o fluxo das energias positivas”, acredita ela. Entre os móveis, peças assinadas pelo badalado designer Armando Cerello e outras importadas de Bali e do Egito. Fontes de água mineral natural arrematam o clima ecomístico do resort. “Não raro, a gente ouve à noite um mantra lá longe…”, diz ela.

Para montar o spa, Sônia afirma ter contado com a ajuda de seus anjos. “Foram eles que me indicaram um lugar tão lindo e fizeram com que, desde junho, eu pudesse compartilhar o meu lado espiritual com outras pessoas”, afirma ela. Anjinhos ou não, uma coisa é certa: a família Mesquita apostou R$ 14 milhões no empreendimento e espera um retorno rápido. A diária é de R$ 200 por pessoa, com refeição completa e pratos com baixas calorias.

Veja também

+ Entenda como a fase crítica da pandemia de Covid-19 pode ter sido superada em SP
+ A “primavera das bikes” pós-pandemia vai chegar ao Brasil?
+ Após se aposentar da Globo, Sérgio Chapelin aparece com novo visual; veja
+ Nick Cordero morre aos 41 anos, vítima de complicações da Covid-19
+ Hamilton bateu de novo em Albon; veja memes da F1
+ Pandemia adia cirurgia e saúde de Schumacher piora
+ Ford Ranger supera concorrentes e é líder de vendas
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior