Em Cartaz

Senhores da máfia russa

É a segunda participação do ator Viggo Mortensen em filmes do cineasta canadense David Cronenberg.

Senhores da máfia russa

CINEMA 1

Senhores da máfia russa

Desta vez ele interpreta em Senhores do crime (em cartaz em todo o País na sexta-feira 22) o motorista do filho de um chefão da máfia russa que atua em Londres, papel com o qual concorre ao Oscar de melhor ator. O seu personagem ganha a confiança do criminoso e espera uma oportunidade para também ingressar na máfia – a chance surge quando uma enfermeira entra em cena com os diários de uma garota russa que morreu ao dar à luz. As memórias da moça colocariam em risco o chefão e quem então resolve tudo é o motorista. Mais uma vez o diretor Cronenberg mostra as aberrações que se escondem sob um cotidiano aparentemente banal.

DIVULGAÇÃO

CINEMA 2

Persépolis no Oscar
Persépolis (estréia no Brasil na sexta-feira 22) concorre ao Oscar de melhor filme de animação – e tem grandes chances de levar o prêmio. Baseado na graphic novel da iraniana Marjane Satrapi, o desenho mostra as dificuldades de uma garota rebelde durante a revolução dos aiatolás. Os traços simples, em preto e branco, não se comparam ao visual da nova animação americana, mas sua visão crítica certamente leva vantagem.

 

 

DVD

A BOA MÚSICA E A ATITUDE REBELDE DE AMY WINEHOUSE
Muito do sucesso avassalador do disco Back to black deve-se ao comportamento extravagante da cantora inglesa de neo-soul Amy Winehouse (grande vencedora do Grammy). Do visual espalhafatoso ao proclamado gosto pelas drogas e bebidas, além de gírias e mais gírias, tudo nela ajuda a compor um perfil de mulher rebelde que sempre atrai o público jovem. A diferença é que Amy canta de verdade, como prova o DVD I told you I was in trouble (Universal), gravado num show em Londres. Além das performances ao vivo de alguns hits (Rehab e Back to black), o DVD traz diversos depoimentos, entre eles o do pai da cantora.

 

 

 

 

 LIVROS

Bom romance português
O conflito entre o velho e o novo é o tema do livro O vento assobiando nas gruas (Record, 496 págs., R$ 59), da escritora portuguesa Lídia Jorge. Ambientado na aldeia fictícia de Valmares, ao sul de Portugal, a história centra-se no relacionamento entre uma mulher com perturbações mentais e um homem cabo-verdiano que trabalha operando gruas. Ela se aproxima dele depois da perda da avó, encontrada morta em frente à fabrica ocupada pelos imigrantes africanos. Com esse romance, Lídia ganhou os maiores prêmios literários de seu país.  

 

   

 

 

MÚSICA

Elza comanda o baile
Acompanhados da Banda Luar de Prata, Elza Soares e Marku Ribas assumem o papel de crooners de Chega de saudade (Universal), trilha sonora do novo filme de Laís Bodansky, sobre um animado baile de salão. Produtor da trilha, BiD visitou diversos clubes e fez uma ótima seleção de canções – entre elas estão Não deixe o samba morrer, De noite na cama e Lama. Com uma excelente sessão de metais, a Banda Luar de Prata se encarrega das versões instrumentais de Tequila e Bebete vãobora, numa performance que anuncia o clima dançante do filme.

 

   ,

FAMÍLIA FERREZ: NOVAS REVELAÇÕES
(CCBB, Rio de Janeiro, a partir do dia 25) – 400 fotos do acervo de Gilberto Ferrez, com destaque para as transformações urbanísticas do Rio de Janeiro

LEVEZA E ASPEREZA DA LINHA
(Galeria Nara Roessler, São Paulo, em cartaz) – A exposição mostra como o desenho se manifesta nos objetos de Artur Lescher e Sergio Sister ou na arte cinética de Abraham Palatinik

QUARTETT
(CCBB, São Paulo, a partir do dia 22) – Beth Goulart e Guilherme Leme alternam-se nos quatro papéis dessa adaptação do dramaturgo alemão Reiner Muller para o romance Ligações perigosas, de Chordelos de Laclos