Edição nº2591 23/08 Ver edições anteriores

Ricardo Boechat

Com Ronaldo Herdy

HAITI
Nada muda

Termina na quarta-feira 15 o prazo para renovação das tropas brasileiras no Haiti. Formalmente, o Congresso definirá a questão. Mas, nos bastidores, já está decidido que a missão será prorrogada até dezembro de 2009. Até mesmo um novo comandante-geral das forças da ONU no país será indicado: o general Floriano Peixoto, hoje no Estado-Maior do Exército, em Brasília. Em vários Estados, grupos contrários à "ocupação militar" do país promovem um manifesto pedindo a volta imediata de nossos 1.200 soldados. O endereço para aderir é jubileubrasil@terra.com.br

CIGARROS
Fumaça ilegal

O Instituto Nacional do Câncer vai denunciar a Souza Cruz à Justiça. Alega que a tabaqueira está driblando a legislação que só permite propaganda de cigarros nas áreas internas dos pontos-de-venda. Segundo o InCa, a empresa está patrocinando festas para grandes platéias, como rodeios e shows, e inundando os ambientes com "publicidade indutória", em que o hábito de fumar é associado a jovens saudáveis, bonitos e conquistadores.

BALANÇA 1
Ladeira abaixo

Mantidas as cotações da quinta-feira 9 na Bolsa de Commodities de Chicago, a Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB) estima que o País perderá, no ano que vem, pelo menos US$ 20 bilhões em receitas de exportação.

DIREITOS HUMANOS
País amigo

O Brasil se prepara para receber nova leva de colombianos que fugiram para o Equador em função de conflito interno em seu país. O Conselho Nacional de Refugiados estuda acolher 100 pessoas até dezembro. Essa política de portas abertas do governo brasileiro já foi alvo de elogios da ONU.

JOVENS
Para mocinhas

Maitê Proença está escrevendo um livro de crônicas destinado às adolescentes. Serão reflexões, depoimentos e, acima de tudo, hipóteses para tentar entender o tão indecifrável público-alvo. Ainda assim, a atriz e escritora acredita ter decifrado ao menos uma charada: "Acho que descobri por que odiamos nossas mães." A teoria fez sucesso com sua própria filha e as amigas dela.

 BALANÇA 2
Só prejuízo
Nenhum presidente brasileiro esteve na África mais do que Lula. Dos 53 países do continente, 22 foram visitados. Diplomaticamente, um sucesso. Mas, do ponto de vista econômico, um desastre total. Desde janeiro, o déficit comercial do Brasil com o mercado africano já soma US$ 5,6 bilhões. O número é quatro vezes maior do que o registrado no mesmo período do ano passado.

ESPORTES
Mistério chinês
Presidente do Flamengo, Márcio Braga quer uma CPI, em Brasília, para investigar os gastos do Comitê Olímpico Brasileiro. Diz que a maioria dos clubes foi quem bancou, integralmente, a ida de seus atletas a Pequim. "Se o COB não arcou com os gastos, onde foram parar os milhões entregues pelo governo e patrocinadores ao COB?", pergunta o cartola.

CULTURA
À beira-mar
Toda a parte modernista da coleção de Gilberto Chateaubriand será exibida permanentemente no MAM carioca, a partir da próxima semana. São cerca de 120 obras, antes expostas alternadamente. O conjunto vai de 1913 a 1950. Dele fazem parte raridades como O farol de Monhegan, 1915, de Anita Malfatti, e O vendedor de frutas, 1925, de Tarsila do Amaral. Aliás, da mesma autora será mostrado o estudo de cores que originou o célebre Abaporu, 1928.

LEI SECA
Perigo aéreo

Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e Tocantins, além do Distrito Federal, é a região no Brasil onde houve este ano o maior número de acidentes aéreos. Foram 28, segundo a Aeronáutica. A causa mais comum foi falta de combustível em aeronaves agrícolas. Mas teve também caso de desrespeito à lei seca. Um piloto morreu após bater em um morro. Tinha decolado cheio de álcool, ingerido num churrasco.

SERVIÇO PÚBLICO
Boca no trombone

Diz o ditado popular que a voz do povo é a voz de Deus. De janeiro a setembro, o TCU recebeu 4.355 denúncias – o que correspondeu a 23 alertas por dia útil. Mutretas em concursos públicos e comunicações sobre desvios de recursos da União foram assuntos corriqueiros levados à Ouvidoria. Tudo será investigado.

EDUCAÇÃO
Pente finíssimo

O Conselho Nacional de Educação começou a definir os critérios de recredenciamento das universidades. Para renovar as licenças, alguns conselheiros querem que cada instituição mantenha, no mínimo, dois programas de doutorado e cinco de mestrado. Apenas 15% das particulares estão, hoje, dentro desse padrão.

AGRICULTURA
Fim da linha

Manoel dos Santos, presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura, deixará o cargo, que ocupa desde 1998. A eleição do sucessor foi marcada para março de 2009. A entidade de 45 anos nunca foi comandada por uma mulher. Hoje, têm boas chances na disputa Alessandra Lunas, secretária de Políticas Sociais da Contag, e Carmem Foro, coordenadora da Comissão Nacional de Mulheres.

CIÊNCIA
Por pouco
Se a Polícia Federal tivesse baixado no 20º Simpósio de Plantas Medicinais do Brasil, entre 16 e 19 de setembro, em São Paulo, levaria em cana centenas de cientistas. Cerca de 80% dos 1.400 trabalhos exibidos ali foram feitos à margem da lei. É que a MP 2.186, de 2001, muito criticada no evento, obriga o pesquisador a saber quem começou a usar uma planta de forma fitoterápica e obter da pessoa aval escrito para o estudo. Se isso soa difícil, o que dizer do compromisso de divisão do lucro?

REMÉDIOS
Rumo aos tribunais

Fabricante do Ritalina, que o pragmatismo médico transformou no calmante pediátrico mais vendido do Brasil (cerca de dois milhões de caixas anuais), o laboratório Novartis meteu-se numa encrenca de família. Um pai divorciado, de Santa Catarina, reclama que o filho de 11 anos foi usado, sem sua licença, como cobaia em testes do medicamento. Segundo a denúncia, a mãe autorizou o estudo unilateralmente, o que é proibido. Entre os efeitos colaterais do Ritalina estão inapetência, insônia, irritação gástrica e dores de cabeça.

 


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.