Brasil

Um sonho possível

Troféu Carlito Maia premia ações pela cidadania no País

A imagem de um homem segurando uma estrela simbolizou a concretização do sonho de consolidar a cidadania no País, na noite de quinta-feira 26, durante cerimônia de entrega do Troféu Carlito Maia de Cidadania 2001, patrocinado pela revista Imprensa. Um dos momentos mais emocionantes da cerimônia, comandada pelo apresentador de tevê Faustão e pela atriz Maitê Proença, foi a entrega do troféu Cidadão Mandatário, in memoriam, para Mário Covas. “Estou enfrentando uma parada. Quase todos os dias tem uma homenagem ao Mário”, disse a viúva Lila Covas. O ministro da Saúde, José Serra, também foi premiado, com o troféu Cidadão Servidor Público, por sua luta pelos medicamentos genéricos e pelos remédios contra a Aids. “O mais importante nessa batalha é a participação das organizações não-governamentais e da sociedade, juntamente com o governo”, afirmou.

Por ter se destacado na ampliação do mercado editorial brasileiro, o diretor e editor da Editora Três, Domingo Alzugaray, foi premiado com o troféu Cidadão Livre Iniciativa. “O prêmio me tocou de maneira especial. Primeiro, porque é o reconhecimento da revista Imprensa, um órgão importante de análise da mídia. E também por se tratar de uma homenagem a Carlito Maia, que se destacou na luta pela democracia”, comentou Alzugaray, referindo-se ao publicitário, Fernão Mesquita, diretor do Jornal da Tarde, recebeu o troféu Cidadão Ecologia pelo Projeto Pomar, de plantação de árvores em São Paulo. O prêmio Cidadão Liberdade de Imprensa ficou para Otávio Frias Filho, diretor de redação do jornal Folha de S. Paulo. O diretor de jornalismo da Rede Globo de São Paulo, Amauri Soares, recebeu o troféu Cidadão Ombudsman.

O jogador de futebol Raí, da Fundação Gol de Letra, ganhou o troféu Cidadão Esportista. Na categoria Cidadão Artista, o vencedor foi o compositor Fernando Brant. O padre Júlio Lancellotti recebeu o prêmio Cidadão Solidariedade por seu trabalho com crianças abandonadas portadoras do vírus HIV. O escultor Emanoel Araújo ganhou o troféu Cidadão Pró-Cultura e o diretor-executivo da Agência Nacional de Direitos da Infância, Geraldinho Vieira, o prêmio Cidadão Terceiro Setor. O presidente do Instituto Ethos, Oded Grajew, ganhou o troféu Cidadão Empresário, e o economista Cláudio de Moura Castro venceu na categoria Cidadão Educador.