A semana

A mãe que morreu para o filho nascer

A mãe que morreu  para o filho nascer

Foi prematura a morte da jovem da cidade paulista de Araraquara, Patrícia Alves Cabrera, diagnosticada com câncer de mama aos 25 anos. Prematuro também foi o nascimento de seu filho, Arthur, gestado somente seis meses. Se Patrícia desse sequência ao seu tratamento quimioterápico, o bebê morreria. Se ela interrompesse a terapia, sua morte era certa, mas a criança teria um fio de esperança de sobrevivência. Nesse fio o instinto materno se agarrou. Patrícia abriu mão de si mesma. Arthur nasceu, ela o viu uma única vez e morreu. O menino continua internado.  

Veja também

+ Entenda como a fase crítica da pandemia de Covid-19 pode ter sido superada em SP
+ Após se aposentar da Globo, Sérgio Chapelin aparece com novo visual; veja
+ Nick Cordero morre aos 41 anos, vítima de complicações da Covid-19
+ Hamilton bateu de novo em Albon; veja memes da F1
+ Pandemia adia cirurgia e saúde de Schumacher piora
+ Ford Ranger supera concorrentes e é líder de vendas
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior