Cultura

Mart’nália para as elites

Presença constante em festas da alta sociedade, a sambista carioca diz que gosta de quebrar barreiras e unir mundos diferentes

Mart’nália para as elites

SAMBA E

O casamento da socialite Tatiana Santo Domingo com Andrea Casiraghi, o filho mais velho da princesa Caroline de Mônaco, teve toda a pompa que uma festa de gala exige. A comemoração no hotel Le Palace, na cidade suíça de Gstaad, no início de fevereiro, acabou, no entanto, em samba. A principal atração musical foi a cantora e atriz carioca Mart’nália. A filha do cantor e compositor Martinho da Vila não abre mão das noites de bamba na quadra da Vila Isabel, escola de samba tradicional da zona norte carioca, mas se tornou presença constante do “grand monde”, ou alta sociedade. Ela também foi a estrela do baile de gala da festa da amfAR (fundação de apoio à pesquisa para a cura da Aids), realizada em São Paulo na sexta-feira 4, e se apresentou para convidados como a modelo inglesa Kate Moss e a atriz americana Sharon Stone.

abre.jpg
SAMBA E CHAMPANHE
Mart’nália dividiu as atenções com a estrela Sharon Stone (abaixo)
na festa da amFar, em São Paulo: piada sobre calcinha

MUSICO-02-IE.jpg

Mart’nália disse à ISTOÉ que encara com naturalidade transitar por universos os mais diversos. Na Suíça, sentiu-se bem à vontade, como se tivesse em um casamento no Brasil. “No fundo, essas festas são todas iguais. Todo mundo feliz porque seus amigos estão se casando”, afirma a cantora, que se apresentou a pedido da mãe da noiva, a brasileira Vera Santo Domingo.

“No fundo, essas festas são todas iguais. Todo mundo
feliz porque seus amigos estão se casando”

O que muda, claro, são os convidados e o cenário cinematográfico. Tendo como panorama os Alpes Suíços, a cerimônia contou com a presença de vips como o estilista italiano Valentino e o presidente de sua grife, Giancarlo Giammetti. Menos reluzente, mas igualmente estrelada, a 4ª edição da festa da amfAR foi realizada na mansão do empresário Dinho Diniz. O evento beneficente arrecadou US$ 3 milhões (R$ 6,6 milhões), empurrada pelo clima informal dos apresentadores, Nizan Guanaes e Sharon Stone. “Eu mostro a calcinha.

“A música e a arte têm mesmo
esse papel de unir as pessoas”

E vocês sabem que eu não uso calcinha”, disse a atriz antes de anunciar uma garrafa de Moët & Chandon de três litros folheada a ouro. O champanhe foi arrematado por US$ 50 mil (R$ 110 mil). Ao final, todos caíram novamente no samba de Mart’nália, com destaque para a apresentadora Sabrina Sato, que subiu ao palco e mostrou por que é ovacionada como rainha de bateria da Vila Isabel. “A música e a arte têm mesmo esse papel de unir as pessoas e por isso eu ultrapasso essas barreiras”, disse Mart’nália.

Foto: Kevin Tachman

Veja também

+ Entenda como a fase crítica da pandemia de Covid-19 pode ter sido superada em SP
+ Ford Ranger supera concorrentes e é líder de vendas
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Cantora Patricia Marx se assume lésbica aos 46 anos de idade
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior