Cultura

Nau da irreverência

Personagens mais famosos do Cartoon Network protagonizam uma divertida paródia do Descobrimento na mininovela Terra à vista

Crianças habituadas às tradicionais histórias sobre a saga do Descobrimento do Brasil vão divertir-se ao vê-la recontada de maneira debochada pelos mais famosos personagens do Cartoon Network, o canal pago do grupo americano Turner Broadcasting, que atinge cerca de 12 milhões de assinantes apenas na América Latina e no Caribe e é hoje visto em 145 países. Em homenagem aos 500 anos do País, Johnny Bravo – o herói canastrão da série que leva seu nome – incorpora um novo tipo, Johnny Vaz de Caminha, referência óbvia ao escrivão da esquadra de Cabral, Pero Vaz de Caminha. É ele quem narra a estrambótica mininovela animada Terra à vista – exibição restrita aos brasileiros –, que traz no elenco Frango, da cultuada série A Vaca e o Frango (leia quadro), na pele do invejoso Frango Álvares Cabral, suposto irmão do Pedro, aquele, que, movido pela ambição, tenta chegar primeiro às Índias. A tripulação é constituída pelos melhores personagens do canal, como o cientista mirim Dexter, o babuíno Babão, o fuinha Máximo e muitos outros, todos envergando figurinos típicos do século XVI.
 

Frango Álvares e sua trupe desembarcam no Rio de Janeiro, cidade que surge adornada pela paisagem do Pão de Açúcar e seu indefectível bondinho, em pleno ano de 1500. Repleta de piadas nonsense, Terra à vista tem o ritmo acelerado e o estilo irônico dos desenhos do Cartoon Network. No quarto episódio, por exemplo, a caravela liderada por Frango estanca numa calmaria. Johnny Bravo regojiza-se. “Pelo menos o vento não vai desmanchar meu cabelo.” Mas logo Bum Defora – que também aparece em A Vaca e o Frango – infla as velas numa crise de flatulência. Daniel Messias, que fez em São Paulo toda a animação da mininovela, diz que aceitou a missão seduzido justamente pela irreverência. “Eu me identifico com o lado cáustico dos personagens do Cartoon Network. É um humor menos debilóide, que lembra os clássicos do Pernalonga, da Warner”, afirma. “A televisão fez emergir um trabalho mais adulto”, conta ele, que, depois de 30 anos de carreira na publicidade, pode se vangloriar de ser o primeiro desenhista a animar os personagens do Cartoon Network fora dos Estados Unidos.
 

Messias, que lidera uma equipe de 30 pessoas, começou a trabalhar em Terra à vista em dezembro passado. Primeiro, ele mesmo desenhou a lápis cada uma das sequências. Com a ajuda dos assistentes, as cenas foram escaneadas e reorganizadas através de softwares especiais. Em seguida, cada quadro ganhou cores e som digitais. Ao todo são oito episódios de pouco mais de dois minutos cada um. Desde a segunda-feira 6 está sendo apresentado um episódio inédito, que fica no ar durante a semana inteira e é diariamente reprisado 18 vezes. Em 22 de abril, data do Descobrimento, todos os capítulos serão exibidos de uma só vez, acrescidos do desfecho final.
O mérito total da mininovela, porém, não é só de Daniel Messias. A idéia é do paranaense Carlos Tureta, gerente-sênior do departamento de áudio do Cartoon Network para América Latina e Caribe. Foi Tureta – que está radicado há 12 anos nos Estados Unidos – quem desenvolveu o roteiro e os diálogos. “Desde 1996, o Cartoon Network tem um sinal exclusivo para o Brasil”, conta ele, assinalando que tem se preocupado em dar uma cara mais local à programação, colocando vinhetas regionais. “No futuro, quem sabe até possamos criar um personagem brasileiro.” Seja qual for a trama, contudo, o Cartoon Network quer manter a grife das idéias muito rápidas. Por causa desta marca, suas criações têm características gráficas simples, como atesta Messias. “Elas possibilitam uma animação minimalista, sem preocupação virtuosista, mas com resultado muito eficaz.” Adultos e crianças comprovam.

Esses animais humanos
A Vaca e o Frango, criação exclusiva do Cartoon Network, exibida diariamente em episódios de 30 minutos, é um caso típico de desenho animado que cai no gosto dos adultos. Seu criador, David Feiss, elabora os roteiros mais surrealistas e insanos que se tem notícia. A começar pela origem dos protagonistas. Vaca e Frango são duas crianças, filhos de pais supostamente humanos, com temperamentos típicos da idade. Em intervalos de segundos podem se amar ou se odiar. Frango, o irmão mais velho de 11 anos, é hiperativo e muito problemático na sua rebeldia sem limites. Contesta tudo e todos, sempre com uma ansiedade à flor da pele, o que o joga nas encrencas mais tresloucadas. Vaca, sete anos, dona de um jeito doce e protetor, tenta persuadi-lo a não fazer tantas besteiras. Em troca, só recebe grosserias. Mas quando a situação aperta, ela se transforma na Super-Vaca que fala apenas espanhol. Como se vê, é um banho de humor para quem cresceu assistindo a Mickey Mouse.