Comportamento

Um prazer ultraleve

Guia de restaurantes do Rio mostra aonde ir e que pratos escolher para manter a cinturinha

Tem gente que vive de dieta, sente culpa só de passar em porta de churrascaria e não pode sequer pensar em comer um docinho que já engorda. Para essa turma e para aqueles que prometem todos os dias que amanhã vão começar um regime, mas, sobretudo, para quem deseja tão-somente comer bem sem engordar, a jornalista e escritora Jael Coaracy escreveu o recém-lançado Rio light, um guia diet da cidade (Ed. Record, 249 páginas). Resultado de cerca de quatro meses de pesquisa, o guia dá dicas de restaurantes, academias e spas cariocas, tudo para estimular o leitor a adotar uma vida light. Além dos óbvios restaurantes naturais e de saladas, o livro dedica vários capítulos a churrascarias, docerias, sorveterias, cafés e casas de chá. Tudo light ou diet, é claro, mas saboroso. Por que não? "Para emagrecer não é preciso sofrer. O desagradável é levar sentimentos como ansiedade e culpa para a mesa", explica Jael, que está preparando para o final do ano o guia São Paulo light.

Além de separar os estabelecimentos por especialidade e por localização, o guia aponta que pratos escolher, em cada restaurante, para satisfazer o desejo sem ingerir demasiadas calorias extras. Jael sugere também alguns dos truques usados em spas, como usar, sempre que for possível, pratos pequenos e rasos. Cheios, eles oferecem uma visão mais animadora do que um pingo de comida no meio de um prato enorme. Também explica que não basta comer salada para emagrecer. É preciso cortar a maionese e temperar as saladas com um molho magro à base de iogurte, limão e ervas. Na churrascaria, o principal cuidado deve ser com a gordura, o inimigo número 1 do combate ao peso, e o acompanhamento das carnes deve restringir-se a uma salada.

"Não é nada radical ou xiita. Basta perceber que você se torna o que você come", explica ela. O guia também derruba alguns mitos. Restaurante italiano, para muitos sinônimo de massas e molhos, sempre tem uma opção light, como lasanha de legumes, carpaccios ou peixes. Até o chá das cinco, normalmente acompanhado de guloseimas engordativas, pode ter uma versão leve, com torradas e doces diet.

Na hora da sobremesa, Jael ensina que o melhor mesmo é recorrer às frutas, que saciam o desejo por um doce, com muito menos calorias. Para quem não resiste a uma torta, no entanto, ela listou as docerias cariocas com produtos que não engordam. "Basta fazer opções. No dia em que comer um chocolate, não coma frituras", explica, ressaltando que o chocolate diet não é uma boa opção. "Ele foi feito para quem não pode comer açúcar, mas tem mais gordura que o chocolate normal." Para ajudar o leitor a escolher a melhor opção no cardápio e auxiliar nas combinações de alimentos, o livro tem ainda uma tabela de calorias e sugestões de sites ligados ao mundo light. "Alimentação saudável é sinal de auto-estima elevada."

Veja também

+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel