A semana

Os três efeitos da receita de farmácia

Os três efeitos da receita de farmácia

A permissão para que farmacêuticos receitem medicamentos que não exijam prescrição médica, publicada na semana passada no “Diário Oficial da União” e contestada na Justiça pelo Conselho Federal de Medicina, pode ter três consequências: socorrer a carência de médicos no País, funcionar como placebo ou gerar grave efeito colateral. Eles estão autorizados a indicar aquilo que não tenha retenção de receita. Isso é bom porque muitas vezes usam-se profissionais do SUS para atender torcicolo. A nova determinação vai ser paliativa, no entanto, se o Conselho Federal de Farmácia não garantir um farmacêutico em cada ponto como manda a lei – somente em São Paulo, 10% das drogarias não possuem tal profissional. O efeito colateral ocorrerá se tudo continuar como está e qualquer balconista se arvorar a receitar. Os médicos alegam que a medida é péssima porque uma dor de cabeça, por exemplo, pode ser sinal de algo mais sério do que um mal-estar que se cure com analgésico receitado em farmácia.

Veja também

+ Homem salva cachorro da boca de crocodilo na Flórida
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Honda apresenta a Rebel CMX1100 para bater de frente com a Harley-Davidson
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel