Edição nº2513 16.02 Ver edições anteriores

Onda de virose? O virologista Celso Granato esclarece

Ouço muita gente falar em virose. Procurei um especialista para saber se há mais casos e a hora de ir ao médico

shutterstock_142814494.jpg

 

É só você se queixar de que está com dois ou mais sintomas como dor de cabeça, náusea, sonolência, vômito ou dores de barriga ao mesmo tempo e o diagnóstico vem em segundos:

– É virose!
E há boas chances de receber opinião semelhante no pronto atendimento.

Na última semana, ouvi muitos adultos e crianças reclamando de alguns desses sinais e muita gente falando em virose. O infectologista Celso Granato, professor livre-docente da Universidade Federal de São Paulo e diretor Clínico do Grupo Fleury, respondeu seis perguntas para esclarecer essa história de virose e o que fazer.

Dores de cabeça, náusea, desarranjo intestinal, sonolência. São esses os sintomas das tais viroses?
Celso Granato –
Os sintomas que você descreve são bastante comuns e acontecem durante todo o ano, embora a causa predominante varie com a época (rotavírus, norovírus, enterovírus, adenovírus e E. coli, entre inúmeros outros). Claro que sempre existe a possibilidade de serem causados por outros agentes, como bactérias, fungos e até intoxicação alimentar.

Por que os médicos sempre dizem que a pessoa está com uma virose?
Granato –
A gente (os médicos) muitas vezes usa o termo virose por que são agentes muito comuns.

Como saber qual é o microorganismo causador dos sintomas?
Granato – Na prática, a variedade de vírus associados a essas manifestações é muito grande, e os recursos para definir a origem dos sintomas são pouco disponíveis. Grande parte desses sintomas acaba sendo tratada com medidas igualmente inespecíficas – orientação alimentar, medicamentos antieméticos (para alivio dos sintomas relacionados com o enjôo, as náuseas e os vômitos), analgésicos, antitérmicos. Ou seja, o “tratamento” independe da causa. Costuma-se dizer até que esses sintomas somem sozinhos, sem a intervenção do médico e, por todas essas razões, acaba-se não fazendo o diagnóstico específico.

Quanto tempo duram as tais viroses?
Granato –
O tempo de evolução depende da causa básica que gera esses sintomas. Na maior parte das doenças causadas por vírus com essa apresentação, o quadro dura de 3 a 7 dias, claro, já apresentando sinais de melhora a partir do 2º ou 3º dia. É muito importante a verificação desses sinais e o acompanhamento médico caso os sintomas não melhorem ou desapareçam entre três e quatro dias. Existem problemas mais graves dos que as tais viroses que se iniciam dessa mesma maneira, ainda que sejam bem menos freqüentes.

Quando ir ao médico?
Granato –
A boa prática médica orienta a se fazer o diagnóstico direitinho mas, na prática, considerando a evolução benigna da imensa maioria dos pacientes, isso acaba terminando nas orientações mais genéricas e os sintomas desaparecem. Mas se os sintomas vão se agravando com o passar dos dias e você demora mais para fazer o diagnóstico, o doente sofre mais tempo e isso é ruim. Da mesma forma, se for uma doença transmissível e você não identifica o agente infectante, ele pode se disseminar sem controle.

Como se tratar e prevenir?
Granato –
Também depende da causa básica. Mas há algumas regras fundamentais a serem seguidas. Uma delas é a higiene no preparo dos alimentos e na escolha de refeições fora de casa. Também se deve beber muita água, para manter o organismo hidratado. Em termos de alimentação, se estiver com diarréia ou enjôo, evite comidas gordurosas e temperadas. Prefira comidas de fácil digestão, como arroz branco, batata cozida, sopas, chás, bolacha de água e sal. Nada que dê muito trabalho para digerir. Se tiver diarréia ou vômitos, melhor evitar verduras cruas e frutas com casca que tenham bagaço (como laranja e mexerica). Até mesmo o suco de laranja pode piorar a diarreia. Se quiser frutas, maçã e pera sem casca e cruas são indicadas. No campo da higiene, é recomendável também separar alguns utensílios quando há uma pessoa com esses sintomas em nossas casas. Para alguns (poucos) desses agentes, existe vacina.
Como os casos mais graves são causados pelos rotavírus, particularmente em crianças abaixo de 2-3 anos, desenvolveu-se a vacina contra esse agente. Ela é dada na rede publica gratuitamente, mas, como a idade máxima para a primeira dose é 3 meses de idade (para ser mais exato 3 meses e 15 dias) e a vacina foi introduzida apenas há cerca de 6 ou 7 anos, o número de pessoas vacinadas ainda é pequeno.

 


Mais posts

Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.