Edição nº2598 11/10 Ver edições anteriores

Qual é a sua, Snowden?

O governo brasileiro estuda a hipótese de que Edward Snowden seja um espião que trocou Washington por Pequim

Qual é a sua, Snowden?

CONF-ABRE-IE-2280.jpg

O governo brasileiro estuda a hipótese de que Edward Snowden seja um espião que trocou Washington por Pequim. A questão é que, depois de ter trabalhado para a CIA e para a NSA, Snowden divulgou, em Hong Kong, um arsenal que atingiu Barack Obama num momento delicadíssimo, quando o presidente dos Estados Unidos mobilizava sua própria máquina de espionagem para denunciar infiltrações do serviço secreto chinês. Ao contrário de Julian Assange, fundador do WikiLeaks com um histórico de anarquismo, Snowden fez carreira como profissional de espionagem para o governo dos EUA, o que tem inspirado uma pergunta: para quem ele trabalha? A proteção do governo russo, outro adversário ativo de Washington e aliado de Pequim em grandes conflitos internacionais, reforça a suspeita.

Ver com os próprios olhos

Washington planejava enviar uma missão ao Brasil para dar mais explicações sobre as revelações de Edward Snowden. O Itamaraty respondeu que era pouco. Conseguiu que uma comitiva dos serviços de inteligência do País fosse convidada a ir à capital americana para olhar, com a maior proximidade possível, o destino da “bisbilhotice”, nas ­palavras de Dilma.

Erenice de fora

A Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público decidiu, por unanimidade, homologar o arquivamento da denúncia de suposta prática de nepotismo cruzado que recaía sobre a ex-ministra Erenice Guerra e o ex-presidente dos Correios, David José de Matos.

Presença incômoda

A presença de agentes de informação em atos de baderna intriga especialistas. No último caso, um funcionário da Abin foi apanhado nas proximidades da casa do governador Sérgio Cabral e levado para a delegacia. Alegou que estava de férias e apenas acompanhava a mulher.

Charge

charge.jpg

Motivo para festa nos estádios

Do ponto de vista da segurança, os estádios que foram sede na Copa das Confederações tiveram nota 10. Não houve nenhuma ocorrência que justificasse o emprego daquele reduzido corpo de policiais armados, que, mantidos longe do olhar do público, só entram em ação em emergências graves. As piores ocorrências envolveram torcedores embriagados.

Advogado de família

Sobrinho da mulher do senador Ciro Nogueira (PP-PI), Antonio Cláudio Portella ainda não justificou a nomeação para o Denatran em março passado. Advogado tributarista, já defendeu Ciro e foi indicado pelo PP para deixar Sandes Júnior longe da CPI que investigou os negócios de Carlinhos Cachoeira.

Cartão vermelho

Festejadas como promessas do mercado energético no Brasil, as novatas Penta e Davos Energia foram desligadas da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) por descumprimento de obrigações. Por decisão do conselho de administração, foram cancelados todos os registros de contratos de compra e venda em nome das duas companhias.

Lágrimas por Dilma

Um dirigente do PT foi às lágrimas no sábado 20, ao ser informado de que Dilma Rousseff não iria comparecer ao encontro da Direção Nacional do partido, conforme combinado. Um petista veterano acha que a reação emotiva misturou tristeza e inconformismo. Para um ministro, o choro foi produzido por um discurso indignado de José Dirceu, “inspirado como só os mais antigos já puderam ouvir”. Na quinta-feira, gripada, Dilma não compareceu a um encontro com senadores, em Brasília. Com a presença de Gleisi Hoffmann e Ideli Salvatti, o encontro reuniu quatro de 12 senadores.

Confiança no futuro

Capaz de manipular a data de nascimento para trás, antecipando a velhice para aposentar-se mais cedo, e depois para a frente, para garantir uma permanência prolongada no Tribunal de Contas da União, o ministro ­Raimundo Carreiro não dá sinal de preocupação com a divulgação de sua história. Tem dito a amigos que conta os meses para assumir a presidência do TCU.

Toma lá dá cá

CONF-02-IE.jpg

Deputado Eduardo Sciarra, líder do PSD na Câmara, que quer derrubar veto de Dilma sobre multa de 10% do FGTS para demissão sem justa causa.

ISTOÉ – Por que o empenho em derrubar o veto presidencial?
Sciarra – Seria menos um imposto. Retiramos a parte que vai para o governo. Os 40% dos empregados ficam mantidos.

ISTOÉ – Mas a redução barateia a demissão. É ruim para os empregados.
Sciarra –
Acreditamos que a diferença não é suficiente para influenciar na decisão de demitir ou não.

ISTOÉ – O governo diz que perde R$ 3 bilhões. Só  os empresários ganham?
Sciarra –
Até a Caixa Econômica diz que não precisa mais desse dinheiro. Apenas 95 deputados foram contra o texto e o veto certamente será derrubado.

Rápidas

* A exemplo de Aécio Neves, o governador Sérgio Cabral criou a versão local do Bolsa Família: o Renda Melhor e o Renda Melhor Jovem. O detalhe é que, pelo menos até agora, os nomes dos beneficiários não foram divulgados.

* O salário de R$ 10 mil afasta possíveis interessados de concursos para juí­zes de primeira instância. No Distrito Federal, existem 120 vagas abertas. O último concurso, no entanto, só vai conseguir repor 24 dessas vagas.

* Lula mobilizou a bancada de deputados e senadores amigos para ajudar a aprovação do programa Mais Médicos, levando o debate para regiões que podem se beneficiar.

* A presidenta do Tribunal Superior Eleitoral, ministra Carmen Lúcia, tem dado sinais de preocupação com denúncia envolvendo gastos excessivos com diárias no Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais.

Retrato falado

CONF-03-IE.jpg

O senador Gim Argello (PTB-DF) vai cobrar a fatura pela ajuda ao governo e ao presidente do Senado, Renan Calheiros. Desde que assumiu o mandato, ele prometeu trabalhar para que a licença de táxis fosse hereditária, em vez de ser devolvida às prefeituras em caso de morte do portador. Ele incluiu um dispositivo com a proposta na MP 610/2013, que travava de desonerações. Dilma vetou, convencida de que o assunto é de responsabilidade municipal.

“Vou de FAB”

O Alto Comando da Força Aérea tornou sigilosas as informações sobre o total de horas de voo utilizadas por seus grupos de aeronaves. A medida tenta amenizar as denúncias permanentes sobre uso de jatinhos por parlamentares e ministros para fins pessoais, que usam os aviões dez vezes mais do que os próprios militares em aviações de caça e vigilância da Amazônia, além de busca e salvamento. 

Olho no raio X

Em 2008, denúncias de fraude na compra de scanners de contêineres levaram a Receita Federal a cancelar a concorrência. A justificativa oficial foi de que o equipamento estaria superado tecnologicamente. Recentemente, reabriu a licitação.
O scanner é o mesmo e as fornecedoras também.

Apertando o sogro

CONF-04-IE-2280.jpg

Casado com uma enteada do ministro Moreira Franco, secretário da Aviação Civil, o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) pode criar uma crise familiar. Convencido de que pode encontrar material para denúncias, Maia acaba de solicitar minutos dos editais de leilões dos aeroportos do Galeão e Confins.

Fotos: Tatyana Lokshina/AP Photo; Joedson Alves/Folha imagem; Laycer Tomaz; Roberto Jayme/Photonews/AG. ISTOÉ Ilustração: Daniel Rosini


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.