Em Cartaz

Os cantos de Maldoror

(Funarte, São Paulo)

O espectador compra um ingresso-passagem e embarca num ônibus às escuras, com as janelas vedadas de plástico preto. Depois de meia hora de viagem, chega a uma construção lúgubre e abandonada. Ninguém faz a menor idéia onde está. É pelos corredores, escadarias e amplas salas do local, quase sempre na escuridão, que acontece a encenação do famoso poema em prosa do escritor francês de origem uruguaia Isidore Ducasse (1846-1870), o Conde de Lautréamont. Apesar do ambiente performático e da trama repleta de assassinatos, estupros e homossexualismo, a adaptação feita pela Companhia de Teatro Os Satyros é entediante. O pior é que não adianta nem cogitar de ir embora, mas talvez agrade aos que gostam de uma aventura esquisita. (I.C.)
VÁ SE TIVER TEMPO

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel