Brasil

Missão cumprida

CPI responsabiliza juiz por adoções suspeitas em Jundiaí

Na última semana, o senador Paulo Souto (PFL-BA), relator da CPI do Judiciário, fez a revisão final do relatório sobre as investigações das adoções internacionais promovidas pelo juiz Luiz Beethoven Giffoni Ferreira, em Jundiaí (SP). No documento, os senadores são implacáveis contra o juiz. “Depois de tudo o que constatamos, podemos afirmar que o magistrado não ficará em situa-ção confortável”, diz o presidente da CPI, Ramez Tebet (PMDB-MS). No relatório que será votado pela comissão na terça-feira 19, fica explícito que se confirmaram todos os depoimentos das Mães da Praça do Fórum, um grupo de mulheres que acusa Beethoven de retirar seus filhos de maneira arbitrária. A denúncia foi divulgada por ISTOÉ em maio do ano passado. Um dos trechos do relatório afirma que em Jundiaí se “instalou uma indústria da adoção”. O documento será encaminhado ao Ministério Público e aos Tribunais de Justiça. A intenção dos senadores é que Beethoven seja enquadrado no artigo 239 do Estatuto da Criança e do Adolescente, que prevê punição àquele que facilite a adoção internacional. Assim, a CPI se antecipa ao próprio Ministério Público e ao Tribunal de Justiça de São Paulo, que há quase dois anos investigam as acusações.