Comportamento

Um belo sorriso

Novas técnicas e materiais mais sofisticados corrigem dentes imperfeitos e melhoram sua aparência

A velha história de que ir ao dentista era sinônimo de tortura está virando paranóia do passado. Hoje, segundo a experiência de vários especialistas, de cada dez pacientes que procuram um consultório dentário, sete estão em busca de tratamentos cosméticos. Eles querem clarear um dente amarelado pelo cigarro, deixar alinhada uma arcada desigual ou simplesmente acabar com aquelas manchas que teimam em se espalhar pelos dentes. Ou seja, desejam realizar o sonho do sorriso perfeito. E, para atender a essa demanda, a odontologia estética não pára de produzir novidades.

Na linha de frente dessas inovações está a técnica dos laminados, que consiste em restaurações de cerâmica aplicadas sobre o esmalte dos dentes com um material adesivo. É como se fossem unhas postiças, porque são colados na superfície do dente. De rápida aplicação e grande durabilidade – mais de cinco anos –, a nova técnica é indicada para tratar dentes manchados, com restaurações em tons diferentes ou até para corrigir dentes mal posicionados, dispensando o uso de aparelhos ortodônticos. Isso porque para arrumar apenas um dente que está fora do lugar em relação aos outros o dentista pode engrossá-lo com o laminado e alinhá-lo com os demais. "A vantagem é que para a colocação do laminado é necessário somente um pequeno desgaste do esmalte, o que mantém a maior parte do tecido dentário original, um dos poucos tecidos do corpo que não se regeneram", explica a dentista Telma Rocha. O problema, porém, é que o tratamento pode custar caro.

Outra alternativa para dar um tom mais uniforme aos dentes é o clareamento, recomendado para quem tem dentes amarelados, escurecidos pelo fumo, pelo café ou até mesmo pelo excesso de cálcio. O tratamento pode ser feito no consultório ou em casa. No consultório, o produto utilizado para clarear – o peróxido de carbamida – é 20% mais concentrado e é polimerizável (clareia mais rapidamente com a aplicação de luz especial). Assim, o tratamento pode ser realizado em uma só sessão. Em casa, o procedimento é mais complicado. Ainda no consultório, o dentista faz um molde de silicone de um dos arcos (superior ou inferior) dos dentes, no qual será inserida a substância clareadora. O paciente dorme com o molde durante várias noites e, em geral, depois de dez dias os dentes estarão mais claros. Essa solução, porém, não serve para qualquer um. "Pacientes com dentes muito sensíveis estarão mais expostos às sensações de calor e frio e poderão sentir dor", explica o dentista Vicente Cozatti.

Resina O desejo de um sorriso mais bonito é tanto que até as conhecidas restaurações em amálgama – material de cor cinza-metálico que ficava evidente – estão entrando em aposentadoria. Elas estão sendo substituídas pela resina da cor do dente, mesmo aquelas implantadas em dentes do fundo. "De dez anos para cá a qualidade da resina melhorou muito. Hoje, tenho total segurança em usá-la", explica o dentista paulista Antônio Salazar Fonseca. Quem se beneficia dessa nova utilização da resina comemora. É o caso do economista Domingos Barchetta, 38 anos, que trocou todas as suas obturações de amálgama por resina e hoje sorri orgulhoso. "Sou muito vaidoso e me preocupo com meu sorriso. Antes, me incomodava quando sorria e apareciam dentes prateados na minha boca. Valeu a pena", diz Barchetta. Aproveitando as visitas ao dentista, o economista fez o clareamento de todos os dentes.

Nos consultórios, também há soluções para o fechamento de diastemas (espaços entre os dentes). O tratamento utiliza a resina para diminuir os espaços até que os dentes se tornem simétricos. O cantor Nando Reis, 37 anos, fez fechamento de diastemas e garante que não se arrepende. Nando não só tinha uma abertura entre os dentes da frente como também possuía caninos pequenos em relação aos outros dentes. "A diferença foi tanta que até mudei meu jeito de falar. Fiquei muito mais bonito", vibra.

Colaborou Clarisse Meireles (RJ)