30 coisas que talvez você não saiba sobre Leonardo da Vinci

30 coisas que talvez você não saiba sobre Leonardo da Vinci

Leonardo da Vinci (1452-1519) é um dos maiores gênios de todos os tempos. Ele foi um pintor, escultor, inventor, músico, arquiteto, escritor, anatomista, geólogo, astrônomo, botânico, geólogo, inventor, historiador, cartógrafo, engenheiro, cientista, além de desempenhar uma série de outros papeis que o posicionaram como um dos maiores polímatas da história.

Embora sua produção artística tenha sido pequena, o impacto de Leonardo foi grande no universo da arte, refletindo seu profundo conhecimento do corpo humano e seus extensos estudos sobre a luz para criar imagens incrivelmente realistas. Leonardo considerava os artistas como aprendizes divinos.

Estudiosos do século XXI, o classificaram como uma das pessoas mais influentes que já existiu. Como Rembrandt e Michelangelo, ele é tão renomado que é conhecido apenas pelo primeiro nome. No entanto, apesar de sua fama, há muitas coisas e mistérios que poucos. Como escreveu Sigmund Freud: Ele era como um homem que acordou muito cedo na escuridão, enquanto os outros ainda estavam dormindo. Por isso, a coluna de hoje reúne 30 curiosidades a seu respeito:

1-Tinha outro nome – Seu nome não era realmente “Leonardo da Vinci”. Chamava ‘Lionardo di ser Piero da Vinci’. Seus contemporâneos o chamavam apenas de “Leonardo” ou de “Il Florentine” porque morava perto de Florença (Itália). Nasceu em 1452, em um vilarejo toscano chamado Anchiano, não muito longe de Vinci. Morreu na França em 1519.

2-Era filho bastardo – Leonardo era filho de um rico tabelião florentino e de uma camponesa solteira, que se chamava Caterina. Quando Leonardo tinha dezesseis anos, seu pai Piero se casou com Francesca Lanfredini, de vinte anos, que morreu sem ter filhos. Então, os herdeiros legítimos de Piero nasceram de sua terceira esposa, Margherita di Guglielmo, que deu à luz seis filhos, e, também, de sua quarta e última esposa, Lucrezia Cortigiani, que teve outros seis filhos. No total, Leonardo tinha doze meios-irmãos muito mais novos do que ele. Quando seu irmão mais novo nasceu, ele tinha quarenta anos, idade considerada velha para a época.

3-Conseguiu escolher sua profissão – Por não ser filho legítimo, ele não tinha autorização para seguir a profissão de seu pai. Com isso, ficou livre para escolher seu futuro profissional. Estudiosos acreditam que essa questão o motivou para rapidamente sair em busca de sua própria identidade, provando para si mesmo que era capaz de ter destaque e sucesso profissional. Embora as circunstâncias de seu nascimento colocassem Leonardo em desvantagem em termos de educação e herança, podemos dizer que isso foi a grande sorte de sua vida (e das nossas!).

4-Teve pouca educação formal – Leonardo não recebeu nenhuma educação formal além de leitura básica, redação e matemática. Às vezes se referia a si mesmo como um “homem analfabeto”. O fato é que ele foi um grande autodidata, que se destacou não só pela inteligência, mas pela curiosidade que o motivava a pesquisar sobre diferentes temas. Seus talentos artísticos eram evidentes desde criança. Aos 14 anos já estava aprendendo a esculpir a pintar com Andrea del Verrocchio, famoso artista de Florença. A oficina de Verrocchio foi sua grande escola. Foi lá que ele teve acesso a uma ampla gama de habilidades técnicas, incluindo metalurgia, carpintaria, desenho, pintura e escultura. Aprendeu a trabalhar com metal e a produzir armaduras. Enquanto ainda treinava com Verrocchio, esteve indiretamente envolvido na fabricação da enorme bola de cobre dourada que fica no topo da Catedral de Santa Maria del Fiore. Seu primeiro trabalho conhecido é de um desenho de paisagem feito com bico de pena em 1473.

5-Era bonito – Era conhecido como uma pessoa excepcionalmente atraente, de notável beleza física e que exibia graça infinita em tudo o que fazia. Sua postura era marcante. Tinha lindos cabelos cacheados, cuidadosamente penteados, que desciam até o meio do peito.

6-Ele tinha dificuldade de se concentrar em mais um projeto por vez – Sua inteligência, seu conhecimento sobre vários temas e sua sede por novos temas era infinita. Essa capacidade muito acima de outros homens, fez com que ele se tornasse um procrastinador crônico. Começava a estudar um tema e se aprofundava nele imediatamente, mas sua atenção acaba sendo direcionada para um segundo assunto ou projeto. Ele seguia o mesmo ritmo de estudo profundo, mas logo na sequência encavalava um terceiro trabalho e assim ia conforme seus interesses diversos aumentavam ou à medida que seus experimentos científicos avançavam, inclusive dissecando corpos humanos e animais.

7-Não concluiu muitos trabalhos – Ao longo da vida, ganhou fama por receber e muitas vezes não entregar os trabalhos para os quais era contratado. Começou mal já na primeira encomenda. Foi contratado para pintar uma imagem da “A Adoração dos Magos” para a capela do Mosteiro San Donato, de Florença. Ele não entregou essa pintura porque mudou-se para Milão para trabalhar para a família Sforza, onde ficou por 17 anos. “Anunciação” (1475-1480) é considerada a primeira obra completa de Leonardo. Essa nobre família foi quem financiou o afresco ‘A Última Ceia‘, uma das mais importantes obras primas do mundo e que fica no refeitório do Mosteiro de Santa Maria delle Grazie. Frequentemente, demorava meses ou anos para começar a trabalhar nas encomendas, esquivando-se de cobranças dos patrocinadores ao dizer que estava desenvolvendo seu processo criativo.

8-Amava música e era talentoso – Leonardo tinha um dom para a música. Ele acreditava que a música estava intimamente relacionada às artes visuais. O primeiro historiador de arte da história, Georgio Vasari, era contemporâneo de Leonardo e registrou que ele tocava lira, flauta e “cantava divinamente sem qualquer preparação”. Costumava tocar e cantar nas reuniões da nobreza e nas casas de seus patronos. Compunha suas músicas. Suas múltiplas capacidades faziam com que ele fosse apresentado de diferentes maneiras. Quando chegou pela primeira vez na corte de Milão, foi introduzido como um músico, não um artista ou um inventor.

9-Seu maior projeto foi destruído – Em 1482, Leonardo foi contratado pelo Duque de Milão, Ludovico il Moro, para criar uma enorme estátua de um cavalo com cerca de 8 metros de altura e que chegaria a pesar 70 toneladas. Leonardo passou quase duas décadas planejando a estátua, mas antes de concluir seu trabalho as forças francesas invadiram Milão, em 1499. Sua escultura de barro, que seria a maior do mundo depois de receber bronze, ficou totalmente destruída após ser usada para tiro ao alvo pelos soldados franceses na comemoração da batalha.

10-Teve tempos de engenheiro – No início da década de 1480, estava muito interessado em trabalhar para Duque de Milão. Seu desejo e sua destreza como engenheiro foram registrados por ele na ocasião em uma carta: “se houver necessidade, farei canhões, morteiros e munições leves e funcionais, totalmente fora do comum”.

11-Escrevia ao contrário – Ele escrevia num formato ao contrário e em diferentes sentidos, o que tornava quase impossível alguém entender e decifrar o conteúdo. Sua escrita era feita de forma espelhada porque ele tomava muito cuidado para não borrar. Era canhoto, mas escrevia com as duas mãos com facilidade. Em alguns museus, existem espelhos próximos às páginas de seus cadernos para possibilitar a leitura da escrita espelhada. Ele também se divertia com o fato de seus manuscritos serem verdadeiros enigmas, repletos de jogos, trocadilhos e segredos, como ele gostava.

12-Seu conhecimento era pouco valorizado na época– A regra de quem não entende faz críticas pode ser aplicada no que tange a Leonardo. Embora fosse altamente respeitado como artista, suas ideias e invenções científicas tinham pouco apoio de seus contemporâneos que, obviamente, não tinham a menor ideia sobre os temas que ele comentava. Por isso, ele guardava suas ideias em cadernos, que ficavam com ele. Leonardo não foi o único a desenhar máquinas ou a fazer desenhos científicos em sua época. Ele foi pioneiro em fazer uma revolução no desenho técnico, mostrando o funcionamento de suas invenções. Jamais publicou um livro, mas seus manuscritos -conhecidos e estudados muitos séculos depois- valem hoje uma verdadeira fortuna.

13-Cadernos que custam milhões de dólares – Na época, o papel custava uma verdadeira fortuna. Leonardo aproveitava cada espaço em branco para registrar suas ideias, mas não parava de escrever um dia sequer. Ao longo da vida, escreveu mais de 7.000 páginas. Eles são a melhor fonte de conhecimento sobre Leonardo e suas ideias, sendo talvez a mais notável fonte de criatividade humana já produzida por uma única pessoa. Seus manuscritos fazem parte do acervo do Castelo de Windsor, do Louvre e da Biblioteca Nacional Espanhola em Madrid. Bill Gates comprou um dos cadernos de Leonardo da Vinci por 30,8 milhões de dólares.

14-Discutia com outros grandes mestres – Leonardo viveu na mesma época que outros dois outros mestres da Renascença: Michelangelo e Rafael. Leonardo era elegante e mostrava pouco interesse em assuntos religiosos, enquanto Michelangelo era profundamente piedoso, mas não cuidava de sua higiene e de sua aparência. Eles também eram muito diferentes em seus estilos de arte. Michelangelo pintou como se fosse um escultor, usando linhas muito nítidas. Leonardo acreditava na técnica do sfumato, trazendo suspense para os contornos das figuras. Relatos históricos descrevem os artistas como rivais, que se provocavam sobre seus métodos. Michelangelo zombava Leonardo por sua incapacidade de concluir obras; e Leonardo censurou seu inimigo por causa da musculatura exagerada de suas esculturas. Rafael concorria com os dois e produzia de forma incansável, concluindo uma pintura atras da outra. Na arte, assim como na vida, a competição (desde que saudável) ajuda no desenvolvimento profissional e pessoal.

15-Era o mais inteligente – Leonardo foi o primeiro a responder uma série de dúvidas que tínhamos sobre os mais variados temas como anatomia, ciência e engenharia. Leornardo Da Vinci foi a primeira pessoa a explicar por que o céu é azul. (Se você não sabe: é por causa da maneira como o ar espalha a luz do sol). Seu desenho mais perfeito é Homem Vitruviano, uma das obras mais enigmáticas do mundo e que apresenta o corpo humano a partir de proporções ideais. O “Homem Vitruviano” representa o ideal de beleza e a harmonia nas proporções. A obra retrata o ideal clássico de equilíbrio, beleza, harmonia e perfeição nas proporções do corpo humano. Mistura matemática e arte durante a Renascença, ressaltando o profundo entendimento de Leonardo sobre proporções.

16-Invenções – Leonardo esperava unificar pintura, arquitetura e engenharia com pensamento e escrita. Centenas de produtos e de máquinas que hoje usamos foram criadas por ele há quase quinhentos anos. Entre suas invenções, estão instrumentos musicais, bicicleta, helicóptero, carro blindado, carruagem com foice, bate-estacas, guindaste giratório, espelho concavo, equipamento de dragagem, energia solar concentrada, máquina de somar, máquina voadora, pontes, tanque de guerra, diques de água, escafandro, máquinas de guerra, enrolador de turbina, violão, órgão, paraquedas, além de uma enorme lista de descobertas de botânica, geologia, cartografia, biologia, medicina e astronomia. Sua produção teatral o levou a adereços mecânicos, como máquinas voadoras e um parafuso de helicóptero, que foram projetados para derrubar anjos das vigas em algumas das performances que ele trabalhou. Leonardo adorava confundir a linha entre fantasia e realidade. Com o teatro, ele trouxe para sua arte, seu conhecimento de engenharia.

17-Inspiração na natureza – Muitas máquinas criadas por Leonardo foram desenhadas a partir da observação da natureza. A água foi um dos elementos naturais que mais o fascinou, sendo motivo de muitos anos de estudo. Ele adorava como as correntes de ar formam rajadas quando passavam pelas asas curvas dos pássaros, ajudando a mantê-los no ar, assim como hoje temos os aviões.

18-Era vegetariano e ativista – Antecipando o movimento pelos direitos dos animais em séculos, Leonardo da Vinci tinha um imenso amor por bichos. Chegava a comprar passarinhos engaiolados para soltá-los de volta na natureza. Por escolha própria, ele virou vegetariano.

19-Dissecou cadáveres – Para Leonardo, nenhuma barreira poderia ser erguida entre a ciência e a arte, ou entre o coração e a mente. Com seus estudos científicos, ele estava particularmente interessado na anatomia humana. Chegou a dissecar cadáveres humanos no Hospital de Santa Maria Nuova, em Florença, para estudar a forma humana. Muitos desenhos do corpo humano, incluindo músculos, nervos, órgãos e ossos, foram registrados por ele em mais de 200 páginas de seus cadernos. Acredita-se que suas representações do coração, de órgãos, do sistema vascular, de genitais e de outras partes do corpo humano são algumas das primeiras ilustrações deste tipo da história.



20-Não assinava suas obras – Leonardo tinha o hábito de não assinar suas obras. Para ele, a arte tornou-se um método de divulgar a ciência. Isso já gerou muitas dúvidas e questionamentos sobre a autoria de determinadas pinturas, mas quem analisa suas obras consegue encontrar a genialidade do artista.

21-Fez poucas pinturas – Embora Leonardo seja considerado um dos maiores artistas de todos os tempos, sua produção artística foi muito pequena: 17 obras. Dizem que um acidente vascular cerebral deixou a mão direita de Leonardo paralisada, interrompendo sua carreira de pintor e deixando obras como “Mona Lisa” inacabadas. No entanto, sua reputação incomparável demonstra o poder de sua arte. Mesmo com tão poucas pinturas finalizadas, é impossível negar sua influência sobre a humanidade.

22-Criou a obra de arte mais famosa do mundo – A Mona Lisa é a pintura mais famosa do mundo e está exposta desde 1804 no Louvre, considerado um dos museus mais importantes do mundo. Sua fama é tão enigmática quanto seu sorriso lendário. A Mona Lisa tem apenas 77 cm de altura x 53 cm de largura. Fica protegida por um vidro brindado e rodeada de centenas de pessoas a todo o momento. A obra tem apelido: “La Gioconda”. O sorriso da Mona Lisa é resultado de uma vida estudando arte, ciência, ótica e todos os outros campos da ciência para tentar entender como compreendemos o universo e como nos encaixamos nele. Leonardo gastou muitas páginas de seu caderno dissecando o rosto humano para descobrir cada músculo e nervo que tocava os lábios. Se você olhar para o sorriso da Mona Lisa, os cantos dos lábios se voltam ligeiramente para baixo, mas as sombras e a luz fazem com que pareça que ele está voltando para cima. Conforme você move seus olhos pelo rosto dela, o sorriso acende e apaga. Genial!

23-Nunca terminou a Mona Lisa – Mona Lisa começou a ser pintada em 1503 e até o seu leito de morte, em 1519, a obra ainda estava sendo aprimorada. Mona Lisa é a pintura mais famosa do mundo e está exposta desde 1804 no Louvre, o museu um dos museus mais importantes e conceituados do mundo. A obra é o grande destaque entre um acervo de 35 mil itens. Cinco séculos depois de Leonardo da Vinci pintar a Mona Lisa, o retrato continua sendo alvo de estudos científicos e de muita especulação. Cito um exemplo disso: em dezembro de 2010, o historiador de arte italiano Silvano Vinceti relatou que a Mona Lisa tem minúsculas letras e números em seus olhos e que esses ícones poderiam ser vistos com uma lupa. O Louvre imediatamente rebateu essa tese, indicando que não tinha vestígios disso em seus testes de laboratório, assim como não tinha encontrado nenhuma inscrição, letra ou número. Alegou que o envelhecimento da pintura sobre madeira tinha criado muitas fissuras na tinta, que poderiam parecer uma série de formas, mas que as interpretações definitivamente não eram pertinentes.

24-Foi um mestre da observação – Leonardo da Vinci foi um mestre da observação. Ele teve pouca educação formal, mas sua curiosidade superou qualquer desafio educacional, pois aprendeu a observar o mundo ao seu redor. Ele acompanhava o voo dos pássaros, o fluir da água, o movimento do sol, entre tantas outras manifestações da natureza. Desenhava todos os aprendizados que tinha, do corpo humano ao movimento da asa de um passarinho.

25-Gostava mais de pintura do que escultura – Acreditava que a escultura era uma forma de arte inferior à pintura por exigir “menos engenhosidade” e por não se preocupar com “todas as coisas perceptíveis na natureza”. Dizia que um escultor poderia criar seu trabalho sem se preocupar com cor, luz e sombra, algo impossível para um pintor.

26-Quase que a Santa Ceia foi destruída e o mesmo modelo posou para Jesus e Judas – A representação de Leonardo de Jesus e seus apóstolos logo após Jesus ter proclamado “um de vocês me trairá” pode ser sua obra mais conhecida fora da Mona Lisa. Também era famoso em sua época, com europeus fascinados pela composição e muitas vezes tentando reproduzi-la em outros meios. O fato de ainda estar em exibição no Convento de Santa Maria delle Grazie em Milão é quase um milagre. Quando a França invadiu Milão em 1499, houve uma discussão sobre o rei Luís XII cortá-la da parede para que pudesse trazê-la para casa com ele. Em 1796, mais soldados franceses o colocaram sob pressão, atirando pedras nele. E em 1943, quando as forças aliadas bombardearam a área, os zeladores da igreja reforçaram a parede de pintura na esperança de que fosse o suficiente para mantê-la segura. A igreja foi severamente danificada, mas A Última Ceia saiu ilesa. Dizem que a mesma pessoa que serviu de modelo para Jesus foi a que posou para a criação de Judas. Infelizmente, não se sabe quem era essa pessoa. A brincadeira que fazem no mercado é que quando Leonardo da Vinci terminou de pintar a imagem de Judas, o modelo confessou que reconheceu a pintura porque ele tinha posado para a figura de Jesus há 3 anos.

27-Erro na pintura – Em novembro de 2017, Salvator Mundi, uma das pinturas atribuídas a Leonardo, bateu o recorde como a pintura mais cara já vendida. Foi leiloada por 450 milhões de dólares. Pintada em óleo sobre noz, a obra retrata Jesus oferecendo uma bênção com sua mão direita enquanto segura um orbe cristalina, que parece representar o cosmos, em sua mão esquerda. A pintura tinha ficado no esquecimento e chegou a ser considerada um trabalho de um dos alunos de Leonardo. Em 2005, foi vendida pelo empresário do Baton Rouge por menos de 10 mil dólares. Se você der uma olhada na pintura, você notará que a esfera na mão de Jesus é transparente. Mas Leonardo, que estudou as leis da ótica com cuidado, deveria saber que o fundo por trás da esfera de cristal não poderia estar dessa forma. Até os dias de hoje, não se sabe por que ele registrou a imagem dessa forma.

28-Ele foi acusado de sodomia – Em 1476, Leonardo e três outros jovens foram acusados ​​do crime de sodomia envolvendo um homem que era famoso na época por se prostituir. Se a acusação fosse confirmada, ele poderia ser executado, mas, por falta de provas, ele acabou absolvido. Depois disso Leonardo sumiu por cerca de dois anos e reapareceu em Florença. Assim como outros famosos artistas da época, como Michelangelo, ele era gay. Diversos historiadores sustentam a tese de que seus discípulos eram também seus amantes. Entre seus pupilos estava Salai, que foi retratado como São João Batista e que teve parte de seus traços registrados na Mona Lisa. Andava sempre bem-vestido e com roupas coloridas, rodeado por amigos que eram matemáticos, arquitetos, dramaturgos, engenheiros e poetas. Essa diversidade ajudou a moldá-lo.

29-Era idolatrado pelo Rei da França- Quando o Rei Francisco I da França ofereceu-lhe o título de “Primeiro Pintor, Engenheiro e Arquiteto do Rei”, Leonardo deixou a Itália em 1515. Ele faleceu aos 67 anos em solo francês. Para o Rei, “nenhum homem teve tanto conhecimento de pintura, escultura ou arquitetura como Leonardo. A mesma genialidade vale para a filosofia, pois ele foi um grande filósofo”. Dizem que Leonardo morreu nos braços do Rei, mas isso é apenas uma brincadeira feita a partir de quanto o Rei o idolatrava.

30-Seus restos mortais ainda são um suspense – Morreu poucos anos depois de chegar à França e foi sepultado na Colegiada de São Florentin no Château d’Amboise. Em seus últimos dias, Leonardo teria pedido a extrema unção de um padre. Deixou testamento pedindo que sessenta mendigos seguissem o seu cortejo. Melzi foi o principal herdeiro e inventariante, e recebeu, além de todo o dinheiro de Leonardo, todos os seus cadernos, ferramentas, sua biblioteca e seus objetos pessoais. Leonardo também se lembrou de seu antigo pupilo e companheiro, Salai, e de seu criado, Battista di Vilussis, ao deixar para eles metade das vinhas que possuía. Seus irmãos também receberam terras. Infelizmente, a igreja foi danificada durante a Revolução Francesa, o que levou à sua demolição em 1802. Como algumas das sepulturas também foram destruídas, ficou difícil para os historiadores indicarem, com precisão, onde estão seus restos mortais. Como sempre, tudo que envolve Leonardo é um enigma.

Se desejar saber mais sobre um artista ou se tiver uma boa história sobre arte para me contar, aguardo contato pelo Instagram Keka Consiglio, Facebook ou Twitter.


Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais


Sobre o autor

Keka Consiglio é artista plástica, jornalista e empresária do setor de comunicação. Apaixonada por arte desde criança quando começou a estudar o tema, entregou-se de vez a esse universo ao fazer cursos e visitar museus e exposições, tanto no Brasil como no exterior. Desenvolve uma arte livre, criativa, repleta de cores e de elementos baseados em temas cotidianos, tendo a sustentabilidade presente em todo o seu processo de criação. Curiosa e motivada por desafios, vive e trabalha em São Paulo, produzindo suas coleções a partir de dois estúdios. Instagram: @keka_consiglio_artista. Site: www.kekaconsiglio.com.br


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Três Editorial Ltda.
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.