Saúde da mulher

3 mitos sobre incontinência urinária que você precisa conhecer

Crédito: Unsplash

A incontinência urinária é um distúrbio recorrente principalmente entre mulheres, e essa assiduidade pode ser a causa do surgimento de tantos mitos sobre a condição. Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), ela atinge cerca de 35% das mulheres com mais de 40 anos, após a menopausa, e 40% das gestantes — mas, em menor escala, pode afetar pessoas de todas as idades.

+ Polêmica: Amazon considera produtos para a saúde da mulher como ‘sex toys’


+ Aprenda a identificar e tratar a infecção dolorosa que atinge 20% das mulheres

De acordo com o “The Sun”, de onde são as informações, os dois principais tipos de incontinência urinária são de esforço e por urgência. A incontinência urinária de esforço ocorre quando uma pequena quantidade de urina é liberada em situações como espirros, tosse, risadas e exercícios físicos. Já a incontinência urinária por urgência acontece quando o músculo detrusor da bexiga se contrai sozinho, sem a ordem do cérebro, fazendo com que o corpo expulse a urina antes da hora. Em uma parceria com a marca de tecnologia de saúde feminina Elvie, a fisioterapeuta Claire Borne está se dedicando a desmistificar esse assunto de forma acessível; confira: 

Mito 1: Apenas mulheres mais velhas têm incontinência urinária

Segundo a fisioterapeuta, 67% das mulheres entre 18 e 34 anos sofrem um escape ou vazamento pelo menos uma vez na semana, o que é reforçado pela médica clínico geral Zoe Williams: “[A incontinência] afeta mulheres de todas as idades, e também pode acontecer com homens”. 

Mito 2: Vazamentos são “raros”

Com dados de uma pesquisa feita pela Elvie, Claire explica que isso não é verdade, pois 88% das mulheres alegaram já ter vivenciado escapes urinários. No entanto, a profissional ressalta que o distúrbio está mais propenso a acontecer em mulheres acima dos 30 anos, e fatores como gravidez, parto normal, obesidade e menopausa também podem ocasionar maior recorrência. 

Mito 3: Nada pode ser feito a respeito

“Vazamentos de urina podem ser resolvidos, e os exercícios para o assoalho pélvico são o tratamento primário para a incontinência”, declara a fisioterapeuta. Ela ainda completa dizendo que um assoalho pélvico forte e flexível permitirá que o organismo segure a urina, e recomenda a prática de exercícios de Kegel.

Como prevenir escapes de urina

• Fortaleça os músculos do assoalho pélvico, praticando exercícios recomendados por um especialista;

• Cuide de sua bexiga reduzindo a ingestão de agentes irritantes como cafeína e álcool;

• Se você estiver tendo vazamentos de urina ou perceber que está urinando com mais frequência durante o dia ou à noite, procure ajuda médica.