Economia & Negócios

Capital Aberto

Capital Aberto

Os apressadinhos
É insaciável a ambição do grupo português Sonae, comandado pelo empresário Belmiro de Azevedo. Depois de comprar quatro redes de supermercados, associou-se ao gaúcho Nacional. Com isso, seu faturamento no Brasil chegará a R$ 2,8 bilhões por ano, o suficiente para passar o Sendas e o Bompreço no ranking de supermercados e ocupar o terceiro lugar. O Pão de Açúcar está de olho nos portugueses: melou a venda da rede Millo’s para o Sonae, que já havia até pago um sinal, e ficou com ela.

 

Quem dá mais?
Ricardo Mansur nega, mas o banco Merrill Lynch foi contratado para desenhar um modelo de venda da Mesbla. Entre os interessados estariam a americana J.C. Penney e a espanhola El Corte Inglés. Os sinais de fraqueza da Mesbla são as dívidas de R$ 50 milhões, processos de ex-funcionários e boicotes de fornecedores. Mansur inclusive deixou a presidência do Conselho do Mappin, rede-irmã da Mesbla.

 

B Ô N U S

FUNILARIA A queda da venda de carros novos em janeiro e fevereiro deixou pelo menos uma turma feliz: as oficinas mecânicas. Quem não pôde trocar de carro tratou de ajustar o usado em março.

BLINDAGEM A Café Cacique diz ter protegido completamente a dívida de US$ 173 milhões que tinha no início de janeiro contra a desvalorização do real. O montante garantido no hedge seria inclusive de US$ 200 milhões.