Medicina & Bem-estar

Viagras naturais

Remédios à base de plantas que prometem melhorar a performance na cama começam a fazer sucesso

A pílula azul mais cobiçada do planeta gerou filhotes no mundo verde. No rastro do Viagra, laboratórios fitoterápicos brasileiros estão lançando produtos feitos à base de plantas, destinados a melhorar o desempenho sexual. Sob o rótulo de revigorantes ou estimulantes, o Virtil, da Bionatus, o Sexuol, do Laboratório Simões, e o Viriliflora, da Flora Medicinal, acenam com mais energia na hora H. No interior do Rio, a Prefeitura de Paraíba do Sul distribui gratuitamente o Viagra caboclo: o composto de guaraná, ginseng, marapuama e catuaba faz sucesso e já ganhou fama em outros Estados. “Tem gente que vem de outros lugares para conseguir o produto”, conta Gisela Gobbi, secretária de Saúde de Paraíba do Sul.

Na raiz dos “viagras” naturais aparece a catuaba – planta apontada pela sabedoria popular como afrodisíaca. Segundo o farmacêutico Luís Carlos Marques, pesquisador da Universidade Estadual de Maringá na área de fitoterápicos, neste caso a voz do povo é quase a voz de Deus. “O efeito da catuaba como estimulante sexual foi comprovado por pesquisas médicas. Ela facilita a ereção e funciona de forma muito parecida com o Viagra tradicional. Recentemente, porém, se descobriu que, das dez espécies de catuaba existentes no Brasil, apenas a da Bahia tem essa utilidade”, observa o farmacêutico.

Os produtos naturais seguem duas linhas. A primeira é a dos medicamentos que prometem facilitar a ereção – o Viagra caboclo está nesta linha. A outra envolve as chamadas plantas adaptógenas, indicadas para auxiliar o corpo a reagir a situações de desgaste, como o stress e o envelhecimento. O Virtil, no mercado desde maio, combina as duas funções. Leva catuaba, um facilitador de ereção, e maca, uma raiz peruana. “O Virtil me ajuda a não perder o pique. Agora, tenho muito mais disposição. Tanto para a rotina do trabalho quanto para os momentos mais íntimos”, conta o pagodeiro Luciano Marcílio, 25 anos, do grupo Força de Expressão.

A médica Patrícia Machado, do laboratório Flora Medicinal, explica que, apesar da vergonha, o interesse dos homens por estimulantes sexuais cresce. Ela é a responsável pela produção do Viriliflora, composto com marapuama, catuaba e cipó-cravo. “Mas nenhum desses medicamentos cura a impotência. Eles servem para aumentar o desejo”, ressalva. Em Paraíba do Sul, o Viagra caboclo faz sucesso com homens de todas as idades. “O remédio só é fornecido mediante consulta médica. Ele tem contra-indicações. Não pode, por exemplo, ser usado por hipertensos”, acrescenta a médica Gisela. Já o Sexuol, que tem na sua composição o funcho selvagem, também deve ser evitado por hipertensos.

O presidente da Sociedade Brasileira de Urologia, Salvador Vilar, observa que, ao contrário de produtos como o Viagra, testados à exaustão, ainda não existe literatura médica sobre os estimulantes sexuais fitoterápicos. Por isso, segundo ele, deve-se tomar cuidado antes de fazer uso dos chamados viagras naturais. “O fato de ser um remédio natural não significa que não tenha contra-indicações e efeitos colaterais. O paciente deve procurar um médico e ter um diagnóstico clínico do problema”, afirma.