Em Cartaz

Brasileiro que nem eu. Que nem quem?

(Fundação Armando Álvares Penteado, São Paulo)

Reunindo telas modernistas, aquarelas do Brasil Colônia, tesouros barrocos, textos, poemas, gravações, documentários, fotos e uma infinidade de itens históricos, a mostra em homenagem aos 500 anos do descobrimento é uma viagem multifacetada que recusa o enfadonho didatismo cronológico. Em sua segunda curadoria, a diretora de teatro Bia Lessa criou verdadeiras cenografias, como a sala decorada por uma gigantesca ampliação de uma tela de Frans Post ou o ambiente circular com o fêmur do Padre José de Anchieta cujas paredes foram cobertas por 350 mil palitos de fósforo. Um espetáculo! (I.C.)
NÃO PERCA

Veja também

+ Homem salva cachorro da boca de crocodilo na Flórida
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel