Comportamento

Só é magro quem quer

Consumidas por milhões de pessoas, as dietas da moda emagrecem rápido, mas não resolvem o problema de quem deseja ficar esbelto para sempre

Na busca do emagrecimento fácil e em pouquíssimo tempo vale tudo. Do Xenical, remédio que elimina a gordura ingerida antes de ser absorvida pelo organismo e que chega às farmácias brasileiras nesta semana, até as dietas mirabolantes. Afinal, qual gordinho nunca ouviu falar na dieta da lua, na do abacaxi e muitas outras? Mas as dietas da moda deixaram de ser receitas de comadres. Estão mais sofisticadas, trazem o aval de especialistas e de celebridades. É o caso do piloto Emerson Fitippaldi e seu 7 Day Diet, Tereza Collor e seu 4 Day Diet e o mais recente, a Sopa de Adriane Galisteu. Há também as receitadas por médicos de famosos, como a dieta das proteínas criada pelo nutrólogo carioca Alberto Serfaty para estrelas como Vera Fischer, sua filha, Rafaela, que voltou a engordar, Carolina Dieckman e Gisele Fraga. A lista de dietas rápidas e indolor é extensa. Existe ainda a Sanavita, mais conhecida como o regime da USP, por ter sido desenvolvida por uma nutricionista da Universidade de São Paulo, e a do dr. Atkins, criada pelo médico americano Robert Atkins.

Todas prometem perda de peso em pouco tempo. Por isso, vendem muito. Só da 7 Day Diet já foram comercializados mais de um milhão de kits no mundo. A pedido de ISTOÉ, especialistas apontaram os prós e os contras desses regimes. A conclusão é unânime: se as dietas forem feitas por um curto período e da forma como orientam os fabricantes, não causam danos à saúde e de fato emagrecem. Mas o preço é alto – a dieta do Fittipaldi, por exemplo, custa R$ 267 – e o resultado não é tão duradouro assim. Na verdade, eles insistem na orientação de que a melhor dieta é a reeducação alimentar, como a utilizada nos Vigilantes do Peso. O problema é que nesse regime não existe a promessa de perder quilos como num passe de mágica. A única força que conta, nesse caso, é a vontade de fechar a boca.

Vigilantes do Peso Criada em 1963 nos Estados Unidos por uma dona de casa cansada de correr atrás de dietas e depois aperfeiçoada por médicos, nutricionistas e psicólogos, os Vigilantes do Peso é o que mais se aproxima da idéia de uma reeducação alimentar proposta pela maioria dos especialistas. Ninguém é proibido de comer nada, desde que respeite seus limites e a quantidade de alimentos ingeridos por dia. Pode-se comer doces, massas, pães e carnes. Tudo de maneira equilibrada e respeitando a proporção entre carboidratos, proteínas e gorduras. Os interessados em perder peso contam, além dos cardápios com restrições calóricas, com uma equipe de ex-gordinhos que dão palestras e falam de suas experiências de como chegaram ao peso ideal e de como isso mudou suas vidas. A cada mês um sócio, como eles se denominam, é premiado pelo seu desempenho, isto é, pelos quilos perdidos. Essa reeducação alimentar torna possível aos sócios emagrecer vários quilos numa única semana. E de maneira saudável.

 

Bela Soup A dieta, lançada no mercado há seis meses, se baseou numa sopa de legumes que fez a modelo Adriane Galisteu perder mais de dez quilos em três meses. Comercializada em forma de pó, a sopa deve ser misturada com água fervente e substituir duas refeições diárias, seja o café da manhã, o almoço ou o jantar. Por possuir apenas 50 calorias por porção, os fabricantes recomendam que seja adicionado algum outro alimento como legumes ou carne. Isso porque o Ministério da Saúde só autoriza alimentos para redução ou manutenção de peso que tenham como proposta substituir refeições, desde que não sejam inferiores a 200 calorias por porção. Entretanto, para alcançar o que está sendo proposto pela dieta, é importante que não se ultrapasse 700 calorias por dia.

A sopa vende cerca de 2,5 mil kits por dia. O kit é composto por dois potes do pó da sopa, suficiente para 23 dias, por uma colher medidora e um medidor de gordura corporal. O fabricante garante que o consumidor pode perder até 10% do seu peso. Isso significa que uma pessoa com 60 quilos pode perder até seis quilos em 23 dias. Uma vez atingido o peso desejado, deve-se substituir apenas uma das refeições por dia, passando para duas a três refeições por semana quando sentir que houve um exagero nos finais de semana, por exemplo. A sopa é encontrada apenas no sabor carne, mas para os próximos meses, vai entrar no mercado a versão frango.

 

4 Day Diet Dieta líquida elaborada a partir de sucos de frutas, sopas de vegetais e chás. Tereza Collor conheceu a dieta em Miami, nos Estados Unidos, emagreceu três quilos e resolveu emprestar seu nome ao regime. O programa de quatro dias à base de líquidos promete emagrecer até quatro quilos, graças à ingestão de uma média de 425 calorias por dia. Além de ser uma dieta hipocalórica, outra vantagem, segundo o médico Roberto Zeballos, clínico-geral da Universidade Federal de São Paulo e que dá assessoria para o 4 Day Diet, é que, por ser líquida, ela proporciona o repouso do aparelho digestivo, garantindo a desintoxicação do organismo através da eliminação de toxinas prejudiciais à saúde. Além disso, segundo Zeballos, ajuda a perder medidas e também a eliminar gordura. Ela é recomendada para quem quer perder pouco peso e não para tratar obesidade. Pode ser repetida uma vez por mês, quantos meses forem necessários.

 

Dieta das proteínas Uma das dietas mais badaladas do momento, por ter sido usada por personalidades famosas como Vera Fischer e sua filha, Rafaela (que voltou a engordar), além de Carolina Dieckman, antes de sua gravidez, pode também ser considerada uma das mais prejudiciais à saúde se não for feita sob uma rigorosa orientação médica. Isso porque ela contraria todos os princípios de uma boa dieta de emagrecimento, recomendada pela grande maioria de médicos, que é a de respeitar a proporção equilibrada entre os três grupos básicos de alimentos: carboidratos, proteínas e gorduras. A dieta proteica consiste em tirar do cardápio quase todos os carboidratos (açúcar, pães e massas) e permite comer sem restrições proteínas e gordura (carnes, ovos, iogurte e queijos). A única exceção aberta para os carboidratos são alguns vegetais e frutas por dia. Segundo o médico nutrólogo Alberto Serfaty, responsável pela prescrição da dieta, ela funciona porque, ao tirar a principal fonte de energia do organismo – o carboidrato –, o corpo vai começar a buscar a energia na gordura acumulada, o que causará uma perda rápida de peso. "É como se o carboidrato fosse o salário e a gordura a poupança. Se você ganha um salário todo o mês, não vai precisar mexer na poupança. Mas quando não tem mais salário, tem que apelar para a poupança", compara. Ele credita o sucesso da dieta ao fato de ela não restringir a quantidade da comida, mas a qualidade. "O paciente obeso não quer saber de comer pouco, senão ele nem começa a fazer a dieta. Não faz parte dele comer pouco. A dieta proteica não frustra o paciente", assegura.

7 Day Diet Criado pelo nutricionista americano Gary Smith e trazido para o Brasil pelo piloto de Fórmula Indy Emerson Fittipaldi há dois anos e meio, o 7 Day Diet garante a perda de até sete quilos por semana. O kit é composto pelos alimentos (café da manhã, almoço, jantar e chás) pré-cozidos embalados em saquinhos que devem ser misturados em água fervente, além de uma fita de vídeo, fitas cassetes e um manual didático para orientação e apoio aos consumidores. Além disso, dá dicas de uma boa alimentação após a dieta e de como se portar num restaurante, por exemplo. Tudo isso faz parte do objetivo da dieta em promover uma reeducação alimentar. O cardápio é balanceado e inclui risotos, massas e sopas. "A dieta de sete dias é o começo para essa reeducação alimentar", afirma João Apolinário, sócio do empreendimento. Os alimentos são produzidos a partir de produtos sem agrotóxicos. Um dos empecilhos encontrados por aqueles que se aventuram na dieta é o sabor. Considerada muito picante e de gosto não muito saboroso, pois é baseada no paladar americano, muitos abandonam a dieta antes de completar uma semana. Pensando nisso, foram convidados dois grandes chefs da cozinha paulista, Giancarlo Bola, proprietário do LaTambouille, e Alessandro Segato, chef do La Tambouille e do Piano Forte, para desenvolverem juntos com o criador da dieta um cardápio adaptado ao gosto brasileiro. Acaba de ser lançado o 7 Day Diet Italian, baseado em pratos italianos como a tradicional macarronada. E mantendo o valor calórico do kit original: média de 591 calorias por dia.

Sanavita (Dieta da USP) Elaborada pela equipe de Jocelem Salgado, nutricionista da Universidade de São Paulo do campus de Piracicaba, interior de São Paulo, a Sanavita foi criada para ser um composto nutritivo no processo de reeducação alimentar. De origem animal, sem aditivos químicos, ela tem como objetivo principal oferecer um produto rico em proteínas vegetais que ajude a pessoa a criar hábitos alimentares saudáveis. Mas para quem está acima do peso, acaba funcionando como um emagrecedor natural. Pode fazer perder até quatro quilos por semana, dependendo de cada pessoa. Quanto mais acima do peso estiver, mais facilmente perderá as gorduras acumuladas. Ela ainda possui uma grande quantidade de fibras, que retarda o esvaziamento gástrico, isto é, o alimento demora mais tempo para sair do estômago em direção ao intestino. Esse processo dá a sensação de saciedade. Além disso, as fibras formam uma espécie de barreira física no intestino impedindo a absorção da gordura. "É uma dieta com função terapêutica", afirma Jocelem. O produto é composto por aveia, gérmen de trigo, gergelim e castanha-do-pará. Tudo é processado de forma a retirar só o que há de mais nutritivo nesses ingredientes. Da castanha, por exemplo, retira-se todo o óleo antes de adicioná-la à receita. O consumo da dieta Sanavita é muito fácil. Deve-se misturar uma porção do produto com outros alimentos como verduras, caldo de sopa, leite ou iogurte. É possível ainda adicioná-lo a frutas como mamão e banana. Ela é apresentada em três embalagens. Duas salgadas para almoço e jantar e uma doce para o café da manhã. Depois de atingir o peso ideal, recomenda-se fazer uso do produto apenas no café da manhã como parte do processo de reeducação alimentar.

 

Dieta de Atkins Elaborada pelo médico americano Robert Atkins, e introduzida nos quatro cantos do mundo, a dieta das gorduras, como ficou mais conhecida, atrai pela facilidade. Na prática, o gordinho pode continuar comendo tudo o que mais gosta, desde hambúrgueres com bacon até ovos e batata fritas, sem culpa. Isso porque a proposta da dieta é comer muita gordura, mas muita mesma, e deixar de lado os carboidratos e as proteínas. Para se ter uma idéia, o paciente só pode comer o equivalente a um pãozinho francês por dia. Em compensação, está liberado para comer presunto, queijo amarelo, bacon e ovos. E logo no café da manhã. O objetivo é fazer com que, sem os carboidratos, o organismo encontre energia a partir da queima da gordura. Toda a dieta e as sugestões de cardápio estão no livro A dieta revolucionária do dr. Atkins, da editora Record.

Mudança de hábito

 

Além das dietas da moda, há outras formas de perder peso. Para o comerciante Sérgio Bustamante, 42 anos, o emagrecimento aconteceu de maneira original: foi fruto de uma aposta. Em 1995, ele não encontrava balanças para calcular seus 196 quilos distribuídos em 1,90m. Só dava para medir seu peso nas balanças de pesar carne de churrascarias. "Sempre fui gordão, mas naquela época estava pior. Tinha cãibras nas pernas e sofria de falta de ar à noite. Achava que não ia viver muito, como se fosse um condenado", lembra Bustamante.

O começo do fim desta sentença, que o fazia ter trauma de crianças que o olhavam com escárnio, aconteceu quando seu cunhado Marcos Koyama lançou um desafio. Bustamante deveria perder 50 quilos em seis meses, contra 25 do desafiante. Quem perdesse pagaria US$ 1 mil. "Ninguém perdeu, pois nós dois alcançamos o objetivo", diz Bustamante, que adotou por conta própria uma insana dieta. Para driblar a fome durante o dia, ingeria apenas café com adoçante ou refrigerante diet. À noite, seu jantar nunca ultrapassava 600 calorias, limite que ele mesmo se impôs. Ele continuou o regime por mais cinco meses, período no qual perdeu outros 42 quilos. Hoje ostenta orgulhosamente 94 quilos.

Ele só abandona a tal dieta nos fins de semana e feriados, quando come à vontade. "A coisa mais deliciosa de ser magro é não ser notado em um restaurante, caber nas poltronas dos cinemas e poder fazer amor com minha mulher nas mais diversas posições", afirma o ex-gordo. A mudança de vida levou o comerciante a escrever, em parceria com sua prima Denise Ribeiro, o livro O peso de uma aposta (editora Alegro). "Minha história mostra que, de um jeito ou de outro, todo mundo pode emagrecer."

 

VIGILANTES DO PESO
Preço:
Inscrição R$ 28,50 e R$ 11 a reunião semanal
Prós: "É balanceada, a pessoa pode comer de tudo um pouco sem sentir fome. Seguem a linha da reeducação alimentar com orientação. É uma dieta correta, associada à saúde."
Contras: "Não há."
Análise: Flávia Abdallah
(nutricionista)

 

 

BELA SOUP

Preço: R$ 95,89
Prós: "A composição de nutrientes é bastante aceita, pois tem alto teor de carboidratos e proteínas, e baixa concentração de gordura. Essa combinação vai auxiliar no emagrecimento sem afetar a massa muscular (graças às proteínas) e a energia (aos carboidratos). Funciona porque, assim como qualquer dieta hipocalórica, com baixíssima quantidade de calorias, faz com que a pessoa ingira menos caloria do que gasta. Desde que seguida com consciência e feita pelo tempo recomendado, essa dieta não oferece riscos à saúde. Funciona como um start, pode incentivar a pessoa a querer manter o peso alcançado e, a partir daí, se sentir motivada para mudar seu comportamento alimentar."
Contras: "Por ter muito pouca caloria, é importante que a pessoa não passe a se alimentar só com a sopa. Ela sozinha não supre as necessidades diárias de nutrientes de uma pessoa. Deve ter um café da manhã reforçado e um bom lanche da tarde, por exemplo. E não deve praticar atividades físicas, pois o gasto de energia seria grande e ela não teria como repor essa perda, uma vez que está ingerindo poucas calorias. A pessoa pode passar mal e pode até desmaiar. Fazer uma dieta dessas, com menos de mil calorias por mais de três semanas, não é recomendável. A pessoa pode apresentar falta de alguns nutrientes importantes para a saúde, como vitaminas, e começar a sentir fraqueza. Além disso, a repetição de uma dieta líquida por muito tempo acaba enjoando."
Análise: Filippo Pedrinola (endocrinologista da Universidade de São Paulo)

4 DAY DIET

Preço: R$ 177
Prós: "Emagrece porque tem poucas calorias e não possui gordura de nenhuma espécie. Por ser líquida, tem uma digestão rápida e limpa o organismo. Não prejudica a saúde. Pode servir de trampolim para mudar os hábitos e é uma alternativa para perder peso momentâneo."
Contras: "É uma dieta paliativa, emagrece mas não garante a perda de peso definitiva. O tempo é muito curto para mudar hábitos alimentares e nesse período a pessoa perde mais líquido do que qualquer outra coisa. Dificilmente vai conseguir eliminar gordura. Além do que, possui pouca quantidade de proteína, responsável pela formação de massa muscular e pela energia do organismo."
Análise: Cristie Willis Spadão (nutricionista)

DIETA DAS PROTEÍNAS

Preço: R$ 240 a consulta com o médico e mais R$ 200 a cada retorno para manutenção mensal
Prós: "Se feita por um período curto e sob orientação médica, emagrece e não chega a prejudicar a saúde."
Contras: "Há perda de peso momentânea. Nesse tipo de regime não há reeducação alimentar e na maioria das vezes a pessoa acaba não só recuperando o peso antigo como engordando ainda mais, pois, assim que termina a dieta, ela volta a comer tudo o que lhe foi proibido durante a dieta. E com uma voracidade maior ainda. E se a dieta for realizada por um período longo, mais de seis meses, por exemplo, pode provocar uma deficiência de certos nutrientes encontrados nos carboidratos, que é nossa maior fonte de energia. A suspensão de frutas e verduras também pode ser prejudicial. Delas vêm a maioria das vitaminas necessárias para o nosso organismo. E para aqueles que têm propensão, pode acarretar problemas de hipertensão e aumento de colesterol.
Análise: Anita Sachs (nutricionista da Universidade Federal de São Paulo)

 

 

7 DAY DIET

Preço: R$ 267
Prós: "É uma dieta rica em fibras que, além de nutrir, evita a absorção de açúcar em grande quantidade. Por ser uma dieta curta, não afeta a saúde de forma drástica."
Contras: "Ela é uma dieta quase sem gordura, mais baseada na proteína. Isso pode acarretar problemas se for utilizada por muito tempo e sem orientação. Afinal, a gordura é importante para que algumas vitaminas essenciais para o organismo sejam absorvidas. Como, por exemplo, as vitaminas A, D e K, responsáveis, respectivamente, pelo fortalecimento das unhas e queda de cabelos, calcificação dos ossos e pela coagulação do sangue. Sem a quantidade de gordura necessária, pode ocorrer uma deficiência desses nutrientes. Além do mais, uma dieta tem de ser individual. Cada pessoa tem gastos e armazenamento de gordura em quantidades diferentes."
Análise: Sérgio Atala Dib (endocrinologista da Universidade Federal de São Paulo)

SANAVITA

Preço: R$ 84
Prós: "Não é nocivo à saúde, uma vez que tem calorias suficientes e iguais à de uma refeição normal (cerca de 408 calorias por porção).
Contras: "Ela não é tão balanceada, possui mais proteínas do que o recomendado e além disso faz parte das dietas momentâneas. A pessoa emagrece tomando um composto alimentar. Mas, depois que terminar, será que vai conseguir manter o peso, será que ela aprendeu a se alimentar corretamente? Cria-se um vínculo com o produto que acaba tornando o consumidor dependente.
Análise: Ricardo Botticini Peres (endocrinologista do Hospital Albert Einstein)

 

 

DIETA DE ATKINS

Preço: R$ 18 (um exemplar do livro)
Prós: "Ela é atraente. Não se passa fome de forma alguma."
Contras: "A ausência de carboidratos numa dieta pode acarretar vários problemas, uma vez que eles são a principal fonte de energia para o cérebro. A pessoa vai acabar sentindo tonturas e fraqueza. Em crianças e adolescentes podem ocorrer problemas de crescimento, pois o organismo é inteligente. Se faltam nutrientes de um lado, ele vai tentar suprir de outro. Vai retirar tudo o que precisa de órgãos e partes menos importantes do corpo, como os ossos, para manter vivos os órgãos vitais. Além disso, antes de queimar gordura, o indivíduo vai primeiramente eliminar água e depois queimar massa muscular. A gordura é a última coisa a ser eliminada. É o que sempre acontece nas dietas restritivas. Outro ponto contra é que a gordura associada com as proteínas, como a carne vermelha, um dos pratos prediletos desta dieta, libera toxinas que em mulheres podem agravar o quadro de celulite e deixam a pele mais oleosa."
Análise: Mirtes Stancanelli (nutricionista especializada em medicina esportiva)