Em Cartaz

Gravura norte-americana

3 expoentes (Associação Alumni, São Paulo)

Nas mãos dos artistas Jim Dine, Chuck Close e Sol LeWitt, a gravura – gênero que nunca casou bem com as grandes dimensões – chega às vezes a competir com a pintura em termos de ousadia e expressão. Um destes exemplos são as 14 grandes obras de Close, mestre do hiper-realismo, que se especializou em fazer gigantescos retratos dos amigos levando ao limite o uso das retículas. Numa linha mais clássica, Dine extrapola seu estilo pop de origem em cinco obras de técnica invejável, enquanto o conceitual Le-Witt, sempre amigo das cores, promove um redemoinho de linhas e tonalidades nas séries recentes Straight lines in all directions (1996) e Wavy brush strokes (1998), que provocam uma verdadeira festa para os olhos. (I.C.)
Vale a pena

Veja também

+ Homem salva cachorro da boca de crocodilo na Flórida
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Honda apresenta a Rebel CMX1100 para bater de frente com a Harley-Davidson
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel