Mundo

Desemprego no mundo vai bater recorde histórico em 2013, diz OIT

Mais de 200 milhões de pessoas ficarão sem trabalho, segundo organização

Desemprego no mundo vai bater recorde histórico em 2013, diz OIT

000_Par7440066.jpg

O desemprego mundial atingirá mais de 202 milhões de pessoas em 2013 e baterá o recorde absoluto de 199 milhões que data de 2009, estimou nesta terça-feira a Organização Internacional do Trabalho (OIT) em seu relatório anual sobre as tendências mundiais do emprego divulgado em Genebra.

"Apesar de uma recuperação moderada do crescimento da produção" esperada para os próximos dois anos, "a taxa de desemprego deverá novamente aumentar e o número de desempregados no mundo vai crescer 5,1 milhões em 2013 para ultrapassar os 202 milhões e ganhar mais 3 milhões em 2014", consideram os especialistas da OIT.

Em 2012, o desemprego voltou a aumentar, "com 197 milhões de pessoas sem trabalho", ou seja, 4 milhões a mais do que em 2011 (193 milhões).

"Este número significa que hoje são 28 milhões de pessoas desempregadas no mundo a mais em relação a 2007. Ou seja, 28 milhões de desempregados a mais que no período anterior à crise", explicou à imprensa o diretor-geral da OIT, Guy Ryder.


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

A OIT corrigiu para baixo seus números do desemprego devido a novos dados, vindos principalmente da Índia.

Durante uma entrevista, Ryder lamentou "a deterioração da situação do desemprego em todo o mundo", considerando que as perspectivas "não são boas".

"As tendências vão em uma direção ruim", disse.

O recorde absoluto do número de desempregados data de 2009, com 199 milhões. "Vamos bater este recorde em 2013", declarou um especialista da OIT.

"As incoerências políticas", em "particular na Eurozona, com um tratamento dos problemas conforme eles apareciam", tiveram repercussões nas decisões relacionadas ao investimento, o que freou o crescimento do emprego.

Além disso, quando novos empregos são criados, eles se tornam inacessíveis para os desempregados de longa duração porque "exigem competências que eles não têm".

Os jovens também são particularmente afetados pelo desemprego. Segundo a OIT, "73,8 milhões de jovens carecem de emprego no mundo, e a desaceleração da atividade econômica provavelmente conduzirá a outro meio milhão de jovens até 2014".

Em 2012, o índice de desemprego dos jovens subiu a 12,6% e em 2017 deve alcançar 12,9%.

Com a crise surgiu um novo fenômeno, ressalta a OIT, o dos jovens que vivem o desemprego de longa duração "desde sua chegada ao mercado de trabalho", uma situação inédita.

Atualmente, 35% dos jovens desempregados nas economias desenvolvidas permanecem sem emprego por seis meses ou mais, contra 28,5% em 2007.

Diante desta situação, cada vez mais jovens abandonam o mercado de trabalho "e não estão trabalhando, nem desempregados, nem na escola nem em formação".

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel