Mundo

Chávez manda e toma decisões, diz novo chanceler venezuelano

Presidente está internado em Cuba após cirurgia para retirada de tumor

Chávez manda e toma decisões, diz novo chanceler venezuelano

000_Mvd6475596.jpg

 

O novo ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Elías Jaua, afirmou esta quinta-feira que o presidente Hugo Chávez está à frente do governo e que sua nomeação para o cargo, esta semana, é uma prova disso, em declarações a uma rádio colombiana.

"Se eu sou o chanceler é porque o presidente Chávez está mandando e tomando decisões", declarou Jaua à emissora Blu Radio.

"O presidente da República é quem nomeia ou remove ministros, ninguém mais pode fazê-lo. Nem o vice-presidente, Nicolás Maduro, poderia me nomear nem eu aceitaria uma nomeação que não fosse do presidente", argumentou.


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

"Nem o vice-presidente Maduro nem eu cometeríamos tamanha irresponsabilidade", destacou Jaua, que exerceu a vice-presidência até poucos dias antes de Chávez ser reeleito nas presidenciais de outubro.

Maduro anunciou na terça-feira que Chávez, hospitalizado há mais de um mês em Havana, teria nomeado Jaua à chancelaria e à vice-presidência política do governo (uma das cinco vice-presidências setoriais), após retornar na segunda-feira de Havana, onde se reuniu com o presidente.

Posteriormente, o líder opositor Henrique Capriles pediu que se Chávez pode assinar decretos como o desta nomeação, também faça uma comunicação pública ao país.

Na entrevista por rádio, Jaua pediu à oposição que respeite a "legitimidade e a legalidade" do governo venezuelano e que abandone "o caminho de gerar fracasso e incerteza".

Hugo Chávez devia assumir seu novo mandato em 10 de janeiro, mas os poderes Legislativo e Judiciário lhe deram tempo indefinido para que se recupere da quarta cirurgia que fez para combater um câncer.

A oposição considera esta decisão ilegal e pede que se declare a "falta temporária" do presidente, que depois de seis meses de ausência conduziria a novas eleições.

O chanceler Jaua ratificou que a Venezuela manterá seu papel de acompanhante nos diálogos de paz que o governo colombiano celebra desde novembro em Havana com a guerrilha comunista das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia).

"Certamente vamos seguir apoiando tudo o que o governo colombiano requisitar para alcançar o objetivo da paz para o povo colombiano", disse Jaua, que não quis antecipar os temas de sua entrevista de sexta-feira em Caracas com a chanceler colombiana, Maria Angela Holguín.

"Não quero dar uma informação antes que a chanceler informe ao seu país", sustentou.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel